Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

30 motos, 18 carros e delegacia são incendiados após ataques na Bahia

0

Trinta motos, 18 carros e um ônibus foram incendiados durante a ação de um grupo de moradores na cidade de Amargosa, a 250 quilômetros de Salvador, na noite de quarta-feira (16). O grupo também invadiu a delegacia do município, roubou todas as armas, liberou os presos, destruiu e queimou o local, segundo informações da Polícia Militar na manhã desta quinta-feira (17). Os ataques ocorreram por causa da morte de uma criança, pela polícia, durante uma troca de tiros.

De acordo com o delegado titular da 4ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/ Santo Antônio de Jesus), Paulo Roberto Guimarães, que gerencia a segurança na região, 16 presos foram libertados da carceragem após a invasão dos moradores. Desses, dois já foram recapturados.

Segundo Guimarães, durante o conflito, a delegada, o juiz e o promotor de Amargosa se refugiaram em um hotel da cidade. O delegado afirmou que as autoridades se hospedaram no local por motivo de segurança, já que a sede da delegacia foi completamente destruída pelo grupo.

Segundo o coronel Aldemário Xavier, que atua no município, 18 pessoas foram ouvidas pela polícia e já liberadas. Xavier ainda informou que o caos estabelecido até a madrugada foi controlado na manhã desta quinta-feira (17).

Conflito
Conforme Paulo Roberto Guimarães, o conflito na cidade começou quando dois policiais iniciaram a perseguição de um assaltante de motos, que teria ligação com tráfico de drogas. Durante a perseguição, o susposto criminoso invadiu a casa de uma família e, na tentativa de atingir o suspeito, um dos agentes acertou um tiro em uma criança, que acabou morrendo no local. Segundo a SSP, a suspeita é de que o tiro tenha partido da arma de um policial civil.

Ainda de acordo com o delegado, o policial responsável pelo disparo não foi localizado no município, mas já foi encontrado pela Corregedoria da Polícia Civil, em Salvadorx, que solicitou que ele compareça à sede do órgão, no bairro da Garibaldi.

Em nota, na manhã desta quinta-feira, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) disse 36 policiais, entre delegados e investigadores, foram deslocados imediatamente para a região, além das equipes da Polícia Militar e do Batalhão de Choque. Conforme o órgão, por determinação da Corregedoria, “a arma do policial civil que participava da operação e de quem teria partido o projétil que atingiu a criança, foi apreendida e será encaminhada para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT)”.

Caos
Após a morte de uma menina de um ano de idade, um grupo de pessoas invadiu e destruiu a delegacia da Polícia Civil da cidade de Amargosa. Uma moradora da cidade que preferiu não se identificar contou como foi a ação do grupo de moradores.
“Eles [policiais] entraram na casa de uma mulher, atrás de um traficante que estava fugindo deles, e acabaram acertando um tiro em uma criança”, explica. De acordo com informações da PM, a criança chegou a ser socorrida para um hospital da região, mas já chegou sem vida.
Segundo com a moradora, o grupo estaria circulando pela cidade, virando e incendiando carros e fazendo ameaças a todos. “Eles passaram aqui na frente, encapuzados, dizendo que iam colocar fogo em tudo. Nós estamos apavorados. Apagamos as luzes e estamos calados em casa para não perceberem que estamos aqui. A cidade está isolada”, afirma.

7_1Ela conta que entrou em contato com a Polícia Militar, mas foi informada que não havia militares sufucientes no momento para conter a ação dos criminosos.
Porém, um reforço de mais de 30 homens do 14º Batalhão da PM de Santo Antônio de Jesus foi enviado e já está em operação na cidade.
A assessoria da Polícia Civil  informou que “as ocorrências teriam iniciado possivelmente após uma criança ter sido atingida durante uma troca de tiros, e que foram tomadas todas as medidas de corregedoria para saber qual a extensão do envolvimento do policial civil no caso”. Além disso, uma equipe de delegados está a caminho de Amargosa, para colher depoimentos das testemunhas.

A Polícia ainda não sabe porque a casa da vítima foi invadida, se era residência de algum envolvido com a criminalidade e nem em que parte do corpo a menina foi atingida.
O policial envolvido no caso terá a arma apreendida, para ser periciada, e deve comparecer à corregedoria da Polícia Civil, em Salvador, ainda nesta quarta-feira. O local onde a vítima foi atingida também será periciado. Um inquérito será aberto para apurar as circunstâncias.

Fonte: G1

Comentários
Carregando