Prazo para entrega da declaração termina nesta sexta-feira

O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda termina nesta sexta-feira. O contribuinte tem até o último segundo do dia para acertar as contas com o Leão. Quem perder o prazo está sujeito ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido. Até o meio-dia de hoje, a Receita recebeu 24.977.601 das 28,5 milhões de declarações esperadas.

Quem tem imposto a pagar, no entanto, deve ficar alerta que a quitação da cota única ou da primeira parcela precisa ser feita até o dia 29 para evitar a incidência de juros por atraso. Neste caso, mesmo que a declaração possa ser entregue até o último segundo desta sexta-feira, o pagamento do boleto fica sujeito aos horários da rede bancária.

Não ter tempo suficiente para avaliar qual é o melhor tipo de declaração, não reunir todos os documentos necessários, assim como algumas informações relevantes, e até mesmo enviar retificações que alterem muito o documento originalmente enviado à Receita Federal podem elevar os riscos de cair nas garras do Leão. E todos esses cenários acabam sendo mais prováveis quando o contribuinte deixa para fazer a declaração no fim do prazo.

Especialistas, no entanto, recomendam que o contribuinte não deixe de enviar a declaração por falta de documentos. Neste caso, se não for um item impeditivo, como CPF dos dependentes com 14 anos ou mais, envie a declaração e depois faça uma retificação. Mas atenção, após 29 de abril, o modelo da declaração não pode mais ser alterado, apenas o conteúdo das informações enviadas à Receita.

 

Em 2015, segundo a Receita Federal, 617.695 das 25,8 milhões de declarações de Imposto de Renda caíram na malha fina. Veja quais são os erros mais comuns listados pela Confirp para não fazer parte desta estatística.

O contribuinte pode optar pela declaração simplificada ou completa. O próprio programa indica qual é o melhor modelo para cada um, basta acompanhar no quadro no lado esquerdo da tela. Quem não tem deduções com dependentes, despesas médicas e PGBL, tende a encontrar na simplificada a melhor opção, já que este modelo aplica um desconto padrão de 20% sobre a base de cálculo do imposto, limitado a R$ 16.754,34.

O pagamento do imposto pode ser feito à vista ou em parcelas. Mas é preciso pensar bem e fazer as contas para decidir se vale mais a pena quitar de uma só vez o que se deve ou se é melhor dividir o pagamento, já que sobre parcelamento incidem juros que seguem a taxa Selic, atualmente em 14,25% ao ano.

 

Muryllo F. Bastos é advogado, editor do site e Painel Político. Natural de Vilhena.

Deixe uma resposta