Abert denuncia 136 casos de agressão à imprensa

Relatório divulgado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV mostra que cinco jornalistas foram assassinados no último ano. Durante protestos, mais de 100 profissionais foram agredidos ou ameaçados. No último ano, 136 jornalistas e veículos de comunicação sofreram algum tipo de agressão ou ameaça. Cinco profissionais foram assassinados em decorrência do jornalismo. Mais de 100 casos de agressões e intimidações foram registrados durante a cobertura dos protestos que sacudiram o país nos últimos meses. Os dados fazem parte de relatório divulgado nesta segunda-feira (14) pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), que conclui que o ano de 2013 foi um dos mais violentos contra a imprensa brasileira.
“Em sua maioria, a violência contra profissionais de veículos de imprensa partiu de grupos minoritários de manifestantes, de vândalos e de policiais, invariavelmente, na tentativa de impedir o registro jornalístico”, diz o Relatório para a Liberdade de Imprensa 2012-2013.

De acordo com o documento, foram registradas oito ameaças, oito atentados, quatro agressões, duas intimidações e quatro censuras judiciais contra jornalistas e veículos de comunicação. O relatório aponta que dez jornalistas foram vítimas de ataques e vandalismos. Foram mais de 30 casos de agressão e intimidação e outras seis detenções.

“Essas manifestações são legítimas e mostram a vitalidade da nossa democracia. Infelizmente, alguns grupos minoritários, incapazes de conviver em um ambiente de liberdade, aproveitaram a mobilização para atacar a imprensa que, justamente, contribui para a denúncia de muitos dos problemas reclamados pela população em geral. É um evidente contrassenso”, afirma o presidente da Abert, Daniel Slaviero.

Os dados são apresentados na 43ª Assembleia Geral da Associação Internacional de Radiodifusão (AIR), realizada no Rio de Janeiro. O encontro é o principal fórum de discussão do setor sobre o ambiente de liberdade de expressão e do pensamento nas três Américas.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Muryllo F. Bastos é advogado, editor do site e Painel Político. Natural de Vilhena.

  • facebook
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília