Acervo da Cinemateca Brasileira está disponível online

Estão disponíveis reportagens e telenovelas da extinta TV Tupi e longas-metragens.

A Cinemateca Brasileira realiza um importante trabalho de difusão de seu acervo, por meio do Banco de Conteúdos Culturais (BCC). Estão disponíveis no site, por exemplo, reportagens e telenovelas da extinta TV Tupi, longas-metragens produzidos pelos estúdios Atlântida e Vera Cruz, filmes mudos, cartazes de filmes brasileiros e estrangeiros, entrevistas, fotografias e outras preciosidades do audiovisual nacional.

De acordo com a coordenadora do Centro de Documentação e Pesquisa da Cinemateca Brasileira, Gabriela Sousa de Queiroz, em 2016, o BCC teve 781.319 visualizações de páginas e foi acessado por 50.214 usuários. Além disso, o banco teve uma relevante quantidade de acessos internacionais, mais de oito mil, em sua maioria dos Estados Unidos, Portugal, França e Alemanha. Segundo Gabriela, a importância do BCC reside no seu potencial para difusão em larga escala de coleções audiovisuais preservadas pela Cinemateca Brasileira.

Os conteúdos são disponibilizados a partir de um trabalho de pesquisa, catalogação, processamento técnico das matrizes audiovisuais e sua digitalização. Dessa forma, o público tem acesso a um conteúdo contextualizado (ficha técnica, sinopse, assuntos etc.). “Trata-se de uma tentativa de ampliar o acesso a conteúdos culturais de grande relevância para a pesquisa no campo, mas também para um público mais amplo interessado no audiovisual brasileiro.

O projeto dialoga ainda com o Plano Nacional de Cultura que, na sua meta 40, prevê indicadores relativos à disponibilização de conteúdos digitais da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico Audiovisual, unidades da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura”, explica a coordenadora.

Novidades

Os usuários do Banco de Conteúdos Culturais contarão em breve com novidades. No primeiro trimestre de 2017, deverão ser publicados novos conteúdos a partir dos trabalhos de digitalização de coleções da Cinemateca Brasileira (cartazes, fotografias etc.) realizados em 2016. Destaque para a futura publicação de materiais de arquivo sobre o fundador da Cinemateca Brasileira, Paulo Emílio Sales Gomes (1916-1977), professor, crítico, conservador audiovisual e militante político.

Gabriela adianta ainda que, também no primeiro trimestre desse ano, o site ganhará um novo layout. “O objetivo principal da mudança é facilitar a utilização do site, tanto pelos usuários que acessam o banco para uma busca específica, quanto para as pessoas interessadas nos temas de forma mais ampla e que poderão agora explorar o acervo de forma mais visual e intuitiva, melhorando a experiência”, afirma.

“Uma nova estrutura para a página inicial foi criada, com ênfase nos materiais multimídia, projetos especiais e busca simplificada e unificada. Para manter um padrão de identidade entre as plataformas de comunicação on-line da instituição, o BCC foi redesenhado de acordo com as diretrizes visuais do novo site da Cinemateca, publicado em outubro de 2016”, explica. Com informações do MinC.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta