Acidente entre duas ambulâncias, ônibus e carreta deixa mais de 20 mortos na BR-101 ; veja quem já foi identificado

Um acidente envolvendo duas ambulâncias, uma carreta e um ônibus de viagem matou 22 pessoas, sendo que 21 morreram no local e 1, no hospital. Foram mais de 20 feridos socorridos no km 343 da BR-101, em Guarapari, na Grande Vitória. O acidente aconteceu por volta das 5h50 desta quinta-feira (22). Os dois sentidos da rodovia foram interditados para realização de perícia no local. Às 16h40, a BR-101 foi completamente liberada.

Durante todo o dia os bombeiros trabalharam no socorro das vítimas e na retirada dos corpos dos mortos na tragédia. A maioria deles estava no ônibus, da Viação Águia Branca, que seguia de São Paulo para Vitória. Na colisão, o veículo pegou fogo e ficou completamente destruído.

No começo da noite, a Secretaria do Estado de Segurança Pública (Sesp) afirmou que todos os 21 corpos já estavam no Departamento Médido Legal (DML) de Vitória. Segundo a Sesp, foram coletadas digitais de 11 corpos, mas nenhuma delas estava no banco de dados da Polícia Civil. Três corpos já haviam sido liberados para familiares, e outros dois seriam liberados ainda nesta quinta.

O secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, disse nesta tarde que, pelos dados da PRF e do Corpo de Bombeiros, esta é a maior tragédia já ocorrida em estradas no Espírito Santo.

A Sesp informou que o primeiro atendimento aos familiares das vítimas está sendo feito por psicólogos, assistentes sociais, Polícia Civil, Detran, Sesp e funcionários da Águia Branca no auditório do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em Vitória. O atendimento foi encerrado às 19h desta quinta e será retomado às 8h desta sexta (23).

O ônibus envolvido no acidente tinha mais de 30 passageiros, e as ambulâncias eram dos municípios de Alfredo Chaves e Jerônimo Monteiro. O caminhão transportava rochas.

A polícia suspeita que a carreta tenha causado o acidente. Um levantamento preliminar da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aponta para uma falha mecânica no veículo, que teria furado o pneu ou quebrado algum dos eixos.

Vítimas

  • Pelo menos 13 mortos e 19 feridos estavam no ônibus.
  • Na ambulância de Jerônimo Monteiro, o motorista morreu. Os outros 5 passageiros tiveram ferimentos leves e não entram na lista de feridos da Sesp porque não precisaram ir para o hospital.
  • 3 feridos estavam na ambulância de Alfredo Chaves.
  • O motorista do caminhão morreu.
  • Há mais 6 mortos que ainda não se sabe em qual veículo estavam.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), sete feridos estão em estado grave. Até as 18h30, 12 pessoas seguiam internadas em três hospitais da Grande Vitória: Hospitais São Lucas, em Vitória, Antonio Bezerra de Faria, em Vila Velha, e Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra.

Perícia

O Corpo de Bombeiros fez a perícia do local do acidente e deve divulgar um laudo em 30 dias. A Polícia Civil também periciou o local e fará outro laudo. As investigações do acidente ficam com a Delegacia de Infrações Penais e Outras (Dipo) de Guarapari.

A PRF informou que a carreta, que transportava rochas invadiu a contramão e bateu no ônibus da viação Águia Branca. As duas ambulâncias seguiam atrás do coletivo e também foram atingidas. Testemunhas contaram que, assim que o caminhão bateu no ônibus, o coletivo partiu ao meio e pegou fogo.

Os passageiros do ônibus receberam os primeiros-socorros na rodovia. Alguns precisaram ser levados de helicóptero para hospitais da Grande Vitória. Ainda segundo a PRF, a maioria das vítimas teria morrido carbonizada.

O secretário de Saúde de Jerônimo Monteiro, José Maria Justo, disse que o veículo do município era uma Doblô. Nela, estavam o motorista e cinco passageiros – três pacientes e dois acompanhantes.

Segundo Justo, para evitar a colisão com a carreta e o ônibus, o motorista tentou desviar para o acostamento, mas acabou batendo na traseira da ambulância de Alfredo Chaves.

O motorista morreu no local do acidente, e os passageiros não tiveram ferimentos. “Estamos com um sentimento de tristeza muito grande. Perdemos um colega de trabalho”, disse o secretário.

A Prefeitura de Alfredo Chaves informou que na ambulância do município estavam um motorista, uma paciente e um acompanhante. Os três estão bem e já receberam atendimento médico. Segundo a prefeitura, o motorista tentou desviar do acidente e acabou capotando. A paciente seguia para um hospital de Vitória para tratar de uma torção no pé.

Mortos identificados

  1. O motorista da ambulância Fiat Doblô, da Secretaria de Saúde de Jerônimo Monteiro, no Sul do Estado, identificado como Alicinaldo Zampili Vargas, de 36 anos, está entre as vítimas do grave acidente. No veículo estavam outras seis pessoas que ficaram ilesas.

Feridos identificados

  1. O motorista Mac Vinícius, que mora no Sul da Bahia, era um dos passageiros do ônibus. Ele contou que estava dormindo no momento do acidente. “Eu estava sentado na cadeira 11. Estava dormindo, quando acordei vi todo o sofrimento”, contou.
  2. O ajudante-geral Gentil Pinto dos Santos. “Só vi quando o ônibus deu uma brecada e não deu para ver mais nada”, contou.
  3. Lindomar Castilho, 41 anos, também estava dentro do ônibus. Mora em São Paulo e seguia para o Espírito Santo para visitar a família. Teve algumas queimaduras e um corte na cabeça.
  4. Domingos Savio, 24 anos, estava no ônibus junto com a mãe, Maria Selma Thomaz da Silva, para visitar a família. Ele é deficiente auditivo e foi levado para a Santa Casa de Cachoeiro de Itapemirim.
  5. Maria Selma Thomaz, 50 anos, estava no ônibus junto com o filho, Domingos Savio. Ela seguia para a Serra para encontrar a irmã. É a primeira vez que os dois visitam o estado.

Mortos

Alicinaldo Zampilli Vargas
36 anos
Motorista da mini-van da Prefeitura de Jerônimo Monteiro
Trabalhava na prefeitura como motorista desde 2011 e fazia motocross nas horas vagas
Andrea Paes
Era enfermeira na Santa Casa de São Paulo
Estava no ônibus. Morava em São Paulo e estava vindo fazer uma visita à famíla. Tinha quase um ano que não vinha, segundo o ex-marido, Antônio Marcos da Silva. Foi ele quem reconheceu o corpo da vítima no Departamento Médico Legal de Vitória.
Francimar Benedito da Silva
45 anos
Estava no ônibus. Ele morava em São Paulo, mas era proprietário do Shopping das Fábricas, em Vila Velha. Segundo o primo, Wesley de Araújo, viajava para o Espírito Santo quinzenalmente para cuidar dos negócios.
Nesta semana, ele viajaria com alguns primos, que trabalhavam com ele. Mas, se acordo com o primo, precisou atrasar a viagem por conta de serviços bancários e embarcou uma hora depois, no ônibus que se acidentou.

Heliodoro Pires de Jesus

39 anos
Morava em Cariacica, e estava no ônibus que se acidentou
Marcos Oliveira Santos
Estava no ônibus.
Reginaldo Marcelino
68 anos
Trabalhava como ambulante
Morava em Cariacica e estava no ônibus que saiu de São Paulo. Segundo o ex-genro, Reginaldo costumava fazer essa viagem para comprar mercadoria.
Osivan dos Cantos Vila Boas

Passageiro do ônibus. Era morador de Cariacica e estava em São Paulo desde sábado (17), na casa de familiares.
Foi o quarto passageiro a ser levado para o Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra.
Segundo a família, ele estava internado em estado grave na UTI.

FERIDOS

Maria Selma Thomaz

  • 50 anos
  • Estava no ônibus junto com o filho, Domingos Savio. Ela seguia para a Serra para encontrar a irmã. É a primeira vez que os dois visitam o estado.
  • Está internada no Hospital Jayme Santos Neves.

Domingos Savio

  • 24 anos
  • Estava no ônibus junto com a mãe, Maria Selma Thomaz da Silva, para visitar a família.
  • Ele é deficiente auditivo e foi levado para a Santa Casa de Cachoeiro de Itapemirim. Durante a manhã, foi transportado para o Jayme Santos Neves de helicóptero.

Lindomar Castilho
41 anos
Estava dentro do ônibus. Mora em São Paulo e seguia para o Espírito Santo para visitar a família. Teve algumas queimaduras e um corte na cabeça. Ele foi arremessado para fora do ônibus. Está internado no Hospital São Lucas, em Vitória.

Gentil Pinto dos Santos
Passageiro do ônibus, foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari com ferimentos leves e liberado.
Mac Vinícius
Estava no ônibus, sentado na cadeira 11, como passageiro. Mac Vinícius, que é motorista, teve ferimentos leves. Ele estava dormindo no momento do acidente.

Fernando Souza
Passageiro do ônibus. Estava com a esposa a caminho de Vitória para o enterro da avó
Ainda não há informações sobre o estado de saúde ou onde está internado.

Fabiana Souza
Passageira do ônibus. Estava com o marido a caminho de Vitória. Ela ia para o enterro da avô de Fernando
Foi levada para um hospital em Guarapari e enviou uma mensagem para os parentes dizendo que estava bem. “Segundo a enfermeira, a única coisa que ela falou foi que viu o meu irmão do lado de fora, gritando o nome dela”, disse o cunhado de Fabiana.
João Tarcisio de Castro
Passageiro do ônibus. Foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari e transferido para o Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra.
Celindra da Costa Guimarães
Passageira do ônibus. Foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari.
Osvaldo Amansio de Oliveira
Passageiro do ônibus. Foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari e levado para o Hospital Antônio Bezerra de Faria.
Ilton Pereira do Nascimento
Passageiro do ônibus. Foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari e liberado.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta