Acusado diz que matou porque homossexual quis ser ‘ativo’ na relação sexual
gaygoiania
João Donati tinha 18 anos

Nesta sexta-feira, foi preso o assassino do garçom João Donati, 18 anos. O garoto homossexual foi encontrado morto em um terreno baldio na cidade goiana de Inhumas.

O autor do crime, o lavrador Andrie Maycon Ferreira, 20 anos, prestou depoimento à delegacia da cidade. Contou que manteve relações sexuais com o adolescente e o matou porque ele insistiu para ser ativo na relação. o delegado que investiga o caso, no entanto, descartou a hipótese de homofobia e trabalha com a de ‘crime passional’

. “Eu não matei ele por ele ser gay. Eu até gosto, não tenho nada contra eles. O problema foi que ele quis fazer gracinha comigo”, disse o lavrador no depoimento, conforme revelou o jornal ‘O Popular’. A ‘gracinha’, segundo ele, era a penetração no ato sexual.

A polícia chegou até o suspeito depois de encontrar a identidade deles próxima de onde o corpo foi encontrado. De acordo com o delegado Humberto Teófilo, responsável pelo caso, o jovem foi detido em uma fazenda de Inhumas, onde trabalhava em uma plantação de tomates. A polícia chegou até o suspeito depois de encontrar a identidade deles próxima de onde o corpo foi encontrado. De acordo com o delegado Humberto Teófilo, responsável pelo caso, o jovem foi detido em uma fazenda de Inhumas, onde trabalhava em uma plantação de tomates. As informações são do jornal Meio Norte

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário