Agentes contrariam decisão judicial e partem para a greve

Os agentes penitenciários e sócio-educadores de Rondônia decidiram manter a greve no sistema prisional do Estado, mesmo após determinação judicial vedando a paralisação.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários e Sócio-Educadores de Rondônia (Singeperon), Anderson da Silva Pereira, a categoria entendeu que o desembargador Eurico Montenegro não considerou ilegal o movimento e em razão disso, a greve foi iniciada em todo o Estado. Segundo Anderson, está sendo mantido o percentual de 30% de servidores nas unidades prisionais e de sócio-educação. “Mesmo com a questão da multa. Não dá mais. A categoria não suporta mais os desmandos do Governo, o não cumprimento de leis. São leis que o próprio governador enviou para a Assembléia Legislativa, além do pagamento de adicional noturno, de progressões. É um absurdo, e o Plano de Carreiras, que é de 2011”, disse.

Em Porto Velho, os agentes montaram uma base em frente ao CTG (Centro de Tradições Gaúchas), na Estrada da Penal, onde protestam de forma pacifica.

O governo do estado afirma que as reivindicações da categoria estão sendo analisadas, porém o Poder Executivo deve seguir os tramites da Lei de Diretrizes Orçamentária, onde após estudo da equipe técnica e posteriormente levada para debate no Poder Legislativo.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta