Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Agentes penitenciários suspendem greve em todo estado

0

O governo de Rondônia anunciou há pouco a retomada da negociação do Plano de Carreiras, Cargos e Remunerações (PCCR) com o Sindicato dos Agentes Penitenciários e Socioeducadores (Singeperon)  e, com isso, o sindicato decidiu suspender a greve anunciada.

Após mais de duas horas de reunião, da qual participaram diversos secretários, o grupo decidiu que no prazo de 30 dias uma nova minuta do plano será definida e submetida aos secretários de Planejamento e Finanças para estudo de impacto financeiro e orçamentário. Em 60 dias será apresentada aos filiados.

O Singeperon se comprometeu divulgar ainda nesta sexta-feira nota pedindo que os servidores retomem suas atividades normais, e que a greve não seja cogitada até que o encerramento das negociações sobre o PCCR sejam concluídas.

Na reunião, artigo por artigo da minuta existente foram apreciadas, com a continuidade da apreciação dos artigos (são mais de 50) na próxima semana, em reunião marcada para quarta-feira, 22.

Os advogados do sindicato, Cristiano Polla e Gabriel Tomasete, pediram a retirada de expressões em alguns artigos e sugeriram mudança em outros. No artigo 5º, por exemplo, que trata da possibilidade dos agentes penitenciários também se dedicarem ao magistério, eles pediram para excluir a expressão sobreaviso, do inciso IV, que diz: “O agente penitenciário ficará de sobreaviso no período em que estiver ministrando aulas”.

Eles também pediram para suprimir a expressão investigação funcional, que seria feita no caso de mudança de cargos compreendidos na minuta da lei que regeria o PCCR, alegando que ao ser investido no cargo público, através de concurso, comissão do certame já realiza essa investigação.

O presidente do Singeperon, Anderson Pereira, disse que o sindicato aceita discutir reajuste escalonado, mas o reajuste salarial teve ponderações do secretário Franco Ono e também de George Braga, que explicaram ser inviável a concessão de qualquer reajuste no momento, quando o estado já está no limite de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) a respeito de gastos com folha salarial.

Franco Ono disse que a arrecadação do Estado reduziu próximo a 10%, em razão da crise, e que sobra para investimentos ao mês apenas R$ 15 milhões.

Comentários
Carregando