Agevisa confirma primeiro caso de zika vírus em Rondônia

Paciente é uma criança de 8 anos que mora em Vilhena, no Cone Sul. Mostra de sangue foi enviada em setembro para o Pará.

Uma criança de 8 anos foi diagnosticada com zika vírus em Vilhena (RO), no Cone Sul. A confirmação foi divulgada no site oficial do governo de Rondônia nesta segunda-feira (28). De acordo com a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), é o primeiro caso registrado no estado.

Em nota, a assessoria de imprensa afirma que uma equipe do Comitê Estadual de Combate ao Aedes Aegypti estará em Vilhena na próxima terça-feira (29) para verificar a situação. A identidade da paciente e informações sobre o atual estado de saúde não foram divulgados.

A assessoria de imprensa informou ainda que a mostra de sangue foi enviada pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen-RO) em setembro para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, no Pará. O governo alega que a partir da primeira quinzena de janeiro o exame que identifica dengue, chikungunya e zika vírus será realizado no estado com um prazo de até quatro dias para o diagnóstico.

O zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo causador de dengue e chikungunya.

Microcefalia
No fim de novembro de 2015, o Ministério da Saúde confirmou a relação entre o zika vírus com o surto de microcefalia no Brasil.

A microcefalia é uma condição rara em que o bebê nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. A malformação é diagnosticada quando o perímetro da cabeça é igual ou menor do que 32 cm – o esperado é que bebês nascidos após nove meses de gestação tenham pelo menos 34 cm.

O perímetro foi revisado pelo ministério no último dia 4. Antes, a microcefalia era apontada nos casos de circunferência craniana menor do que 33 cm.

Com informações do G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário