Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Ajudante de pedreiro confirma ter carbonizado namorada adolescente por ciúmes, diz polícia no AM

0

Dois homens, um deles namorado da vítima, confessaram envolvimento na morte de uma adolescente, de 16 anos, que teve o corpo carbonizado e jogado em um terreno baldio localizado no Conjunto Canaranas, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, no dia 31 de julho, segundo o delegado da Polícia Civil, Jander Mafra. O crime teria sido motivado por ciúmes.

O ajudante de pedreiro e namorado da vítima, de 19 anos, e um vendedor autônomo, de 23, compareceram na tarde de quinta (23), por volta das 13h, no prédio do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde confessaram a autoria do homicídio. Eles foram liberados em razão da legislação eleitoral que proíbe prisão, a não ser em flagrante ou para cumprimento de sentença criminal.

“Não estavam em flagrante e também, ainda que houvesse um mandado de prisão, não poderia ser cumprido devido o período eleitoral”, informou o delegado. A dupla se apresentou espontaneamente na unidade policial.

Crime

Na ocasião do homicídio, segundo as investigações da Polícia Civil, os infratores informaram que eles e a vítima, que mantinha um relacionamento amoroso com o ajudante de pedreiro, estavam em um arraial, que aconteceu em uma quadra esportiva situada no Conjunto Canaranas.

O namorado confessou que os três estavam no arraial e, em um determinado momento, foram até um terreno, onde consumiram drogas e bebidas alcoólicas. Eles começaram a discutir e, durante a briga, o vendedor agrediu a vítima e namorado aplicou nela um golpe de estrangulamento conhecido como “Mata-Leão”, deixando a garota desacordada. Em seguida os dois jovens foram até um posto de combustíveis, compraram gasolina, despejaram na adolescente e atearam fogo nela.

Durante consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) foi constatado que o namorado da jovem, quando adolescente, respondeu por ato infracional análogo aos crimes de tentativa de homicídio e roubo. Ele também já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas. Ele foi indiciado por feminicídio.

Foi verificado, também, que o colega dele tinha passagem pela polícia por roubo. Ele foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e emboscada. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial eles foram liberados e irão responder pelos crimes em liberdade.

Fonte: g1/am

Comentários
Carregando