Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Alan Queiroz diz que não se pode falar em duplicação da BR-364 e não discutir o assoreamento do Rio Madeira

0

Em audiência pública sobre o assoreamento do Rio Madeira, Alan Queiroz levanta a bandeira do ribeirinho que sofre ao escoar seus produtos pelo rio

O vereador Alan Queiroz (PSDB), alertou aos demais membros da mesa e ao proponente da Audiência Pública Aleks Palitot (PTB), na tarde desta última terça-feira (03) no Plenário das Deliberações da Casa de Leis municipal, que obras de duplicação já é fato enquanto o assoreamento do Rio Madeira cresce e prejudica comunidade do Alto e Baixo Madeira.

Alan lamentou a falta de interesse da comunidade e dos demais vereadores que não compareceram ao Palácio Governador Jorge Teixeira para tratar o assunto, em especial o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit).

O vereador Alan Queiroz (PSDB) lembrou que a equipe do Dnit e mais uma comissão extensa do Senado Federal, representada pelo senador Acir Gurgacz (PDT), estavam presentes na Câmara de Porto Velho para tratarem da duplicação da rodovia, mas não mencionaram os estudos para resolver o problema do assoreamento do Rio Madeira.

Na ocasião a duplicação da BR-364 foi proposta devido a quantidade de veículos de grande porte que transportam grãos e outros produtos nas estradas do país. Para o vereador Alan Queiroz (PSDB) é impossível falar em duplicação sem mencionar o trabalho de dragagem do rio, fator importante para escor a produção do Norte.

“A tônica do assunto em relação a duplicação da BR-364 é devido o grande número de carretas que trafegam todos os dias com a missão de transportar grãos e outros produtos. Outro meio de transporte de suma importância que necessita de atenção é o aquaviário, que torna possível todo o comércio para nossa cidade e o resto do Brasil pelas águas do Rio Madeira”, explanou Alan.

Drenagem do Rio Madeira

Segundo notícia lançada pelo site da EBC em 11 novembro de 2016, a dragagem do Rio Madeira no trecho entre o Amazonas e Rondônia voltaria a ser realizada neste ano de 2017, mas até o momento, com apenas dois meses e alguns dias para finalizar mais um ano não se vê nenhuma obra no rio.

A assinatura do contrato de R$ 80 milhões ocorreu na Capital Porto Velho (RO). O valor assegura a dragagem durante cinco anos. A obra oferece serviços de limpeza e desobstrução do leito do rio, retirada dos bancos de areia, além do balizamento e da sinalização.

Alan Queiroz diz que não se pode falar em duplicação da BR-364 e não discutir o assoreamento do Rio Madeira
Alan Queiroz diz que não se pode falar em duplicação da BR-364 e não discutir o assoreamento do Rio Madeira
Comentários
Carregando