Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Amir Lando: ou o Brasil acaba com a corrupção ou ela acaba com o Brasil

0

Em tempos em que o País passa por um dos maiores escândalos de corrupção na administração pública de sua história republicana, o Deputado Federal Amir Lando (PMDB-RO) subiu à tribuna da Câmara dos Deputados para externar sua indignação e revolta com os constantes casos de desvios de dinheiro público denunciados pela operação Lava-Jato da Polícia Federal.

Para o parlamentar, o povo brasileiro deve permanecer atento às denúncias que envolvem o governo federal, estados e municípios “A sociedade precisa ficar em vigilância e os órgãos fiscalizadores, como o Ministério Público, a Controladoria Geral da União (CGU) e Polícia Federal devem atuar com firmeza, independência e autonomia. A Nação não suporta mais esse nível de perdas de dinheiro, que vai para o ralo da corrupção todos os dias”, disse.

Amir Lando lembrou que a quantia recuperada para aos cofres da União representa muito pouco. “O dinheiro roubado não volta mais, assim como os sonhos da nossa juventude. Não podemos admitir que em diversos setores da sociedade, das atividades econômicas, das obras públicas, a corrupção permeie e leve consigo recursos sagrados da saúde, da educação, da infraestrutura, tão importantes para o desenvolvimento econômico e social do País”, afirmou.

Ainda no seu pronunciamento, o Deputado Federal disse que esse é o momento ideal para a sociedade se mobilizar. “O povo brasileiro exige imediato plano de ação, severo, para coibir a corrupção. É o momento de transformar a corrupção em crime com tolerância zero. Como parlamentar e representante do povo do meu Estado de Rondônia, é meu dever fiscalizar o governo e suas ações e denunciar os seus erros”, disse.

Amir Lando, que já foi presidente da CPMI do Mensalão e relator do caso PC Farias e das Sanguessugas, citou algumas obras recentemente superfaturadas que atrapalham o desenvolvimento do País. “Os estádios da Copa foram supervalidados, os aeroportos com 30%, 40% e até 70% de acréscimos de dinheiro público injustificáveis. pontes, rodovias e metrôs — todos eles com sobpreço”, lamentou.

Para finalizar, o parlamentar de Rondônia afirmou que os culpados devem ser punidos, seja quem for. “O castigo é a punição implacável, porque temos que defender a Nação brasileira dessa corrosão brutal que vai dissolvendo os valores éticos e morais e também os orçamentos públicos”, concluiu.

Fonte: NaHoraOnline

Comentários
Carregando