fbpx
Anastasia recomenda continuidade do impeachment de Dilma; leia íntegra

Senador tucano conclui que há provas de que a presidente cometeu crime de responsabilidade na gestão das contas públicas

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) recomendou em seu relatório a continuidade do processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff. O documento, que será lido nesta tarde na comissão especial do Senado, já foi disponibilizado na internet.

O tucano conclui que há provas de que a presidente cometeu crime de responsabilidade na gestão das contas públicas, seja por ação direta ou omissão. A defesa da petista nega qualquer ilegalidade.

Após a leitura hoje, o parecer de Anastasia será debatido amanhã na comissão especial e votado na quinta-feira. Sendo aprovado ou não, ele será apreciado pelo conjunto dos 81 senadores em plenário na próxima terça. Dilma será julgada se mais da metade votar pela continuidade do julgamento – o que é amplamente esperado.

Na últimas semanas, durante a chamada fase de pronúncia, os senadores ouviram testemunhas de defesa e acusação, receberam as alegações finais de ambas as partes e analisaram pareceres produzidos por peritos. O julgamento de fato da presidente está previsto para ter início dia 29 de agosto e deve durar uma semana. São necessários 54 votos para aprovar sua cassação.

Dilma vai divulgar uma carta aberta nesta semana defendendo a realização de um plebiscito que consulte a população sobre a necessidade de antecipar a eleição presidencial, caso venha a ser absolvida. Trata-se de uma tentativa de sensibilizar senadores a votarem por sua absolvição, embora a aprovação de tal consulta pelo Congresso pareça difícil hoje. Uma eleição antecipada exigiria a alteração da Constituição, ou seja, apoio de 3/5 dos parlamentares. Veja abaixo a íntegra do relatório do senador:

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta