Andrea Neves sai da penitenciária em MG para cumprir prisão domiciliar

Usando uma tornozeleira eletrônica, Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), deixou na madrugada desta quinta-feira (22/6) o Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte, e seguiu para prisão domiciliar.

Na terça (20), a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu converter a prisão preventiva de Andrea Neves e Frederico Pacheco, primo do senador, em prisão domiciliar, com monitoramento de tornozeleira.

Presa preventivamente no dia 18 de maio no âmbito da Operação Patmos, Andrea Neves foi denunciada pela suposta prática de corrupção.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) alega que Andrea teria intermediado um pedido de R$ 2 milhões ao empresário e dono da JBS, Joesley Batista, em favor de Aécio Neves. O dinheiro seria, supostamente, para arcar com honorários advocatícios da defesa do senador na Operação Lava Jato.

Em delação premiada, Joesley apresentou ao procuradores gravação de uma conversa mantida entre ele e Aécio, na qual combinam como seria feita a entrega do dinheiro. De acordo com a Polícia Federal, parte da quantia teria sido entregue por um executivo da JBS ao primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros.

No começo deste mês, a PGR apresentou denúncia contra Andrea, Aécio, Frederico e Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PSDB-MG), que teria recebido recursos ilícitos de Frederico. O grupo foi acusado do crime de corrupção passiva. Aécio Neves também foi denunciado por obstrução da Justiça. O fato de Andrea ter sido acusada pelo órgão da prática de um único crime foi levantado pela defesa da jornalista para pedir sua liberdade.

Fonte: metropoles.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário