Ao invés de ex-chefes da Casa Civil, Estado deveria homenagear policiais vivos e mortos

A falta do que fazer na Casa Civil deixa a gente revoltado. Pessoas para serem lembradas não faltam e o Estado deveria fazer uma galeria para homenagear policiais mortos em serviço, como o agente da Polícia Civil Pedro Marcelo, morto durante a onda de crimes em 2008, quando estava de folga e em uma manhã de sábado, em menos de uma hora, atuou no combate a dois crimes nas proximidades da sua casa.

Seu enterro foi marcado pela emoção, conforme mostra o vídeo abaixo:

Também poderia homenagear o cabo Sérgio Campos, que morreu em fevereiro do ano passado, após uma intensa troca de tiros com bandidos em Cujubim.

O policial da Força Nacional, Luís Pedro de Souza Gomes, morto em 2013 no distrito de Rio Pardo, distante cerca de 200 km da capital, quando houve um confronto entre policiais e moradores daquela região, também mereceria uma foto na galeria.

Também poderiam ser homenageados alguns policiais militares, como Hélio Pachá, um dos mais atuantes e competentes oficiais de Rondônia e até o atual comandante geral, Enedy Dias, que combateu a organização “Liga dos Camponeses Pobres”, que aterrorizou Jaru e região. Todos eles, de alguma forma colaboraram para que Rondônia fosse um lugar melhor, e alguns deram suas vidas.

Como eu disse, nada contra os ex-chefes da Casa Civil, mas que Rondônia deve homenagem a muita gente, isso é indiscutível.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta