Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Ao procurar por irmãos, mulher descobre 122 parentes de uma vez só

Após quase 50 anos afastados, Verônica de Lima reencontrou irmãos e conheceu dezenas de outros familiares

0

O ano de 2017 ficou marcado na vida da costureira Verônica de Lima, que mora em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Foi quando a família dela, de uma hora para outra, aumentou de 16 para 138 pessoas (veja vídeo acima).

“Foi mais legal do que ganhar na loteria. Um presentão de Natal que eu nunca vou esquecer na minha vida”, comemorou a paranaense.
O reencontro aconteceu depois que Verônica não aguentou mais de saudade e de agonia pela falta de notícia dos quatro irmãos, com quem perdeu contato há 50 anos. Ela decidiu, então, buscar ajuda no Quadro Desaparecidos, da RPC, para tentar reencontrá-los.

50 anos de procura e apenas 20 km de distância

Mas o que Verônica, que é a caçula da família, não esperava era descobrir que o mais velho dos irmãos, Aparecido de Lima, estava o tempo todo a apenas 20 quilômetros de distância da casa dela, no bairro Boa Vista, em Curitiba.

“Eu não acreditei que nesse tempo todo a gente nunca se cruzou na rua. Meu Deus do céu, eu fiquei muito surpresa”, contou Verônica.

A família perdeu contato na década de 1960, quando o pai de Verônica, que morava em Rio Bom, na região norte do Paraná, aceitou uma proposta para trabalhar na colheita de algodão em Mariluz, no noroeste, e levou apenas dois dos cinco filhos. Os outros três, segundo Verônica, moravam em sítios da região e, por isso, não foram junto.

“Deu uma doideira nele [no pai] quando passou um caminhão de pau de arara levando gente para colher algodão e ele pegou tudo e quis ir. Deu tempo só de pegar as roupas e as coisas mais necessárias para jogar no caminhão e ir embora”, lembrou Verônica.
Depois disso, os pais faleceram, e a irmã que foi junto para Mariluz também acabou se distanciando.

Verônica encontrou os outros irmãos e vários parentes (Foto: Arquivo pessoal )

Descoberta de mais parentes

No dia em que o depoimento de Verônica foi ao ar na tv, os outros irmãos dela também assistiram ao programa e acabou que deu certo de toda a família se reencontrar.
“Eu fiquei em choque com tanta gente. Como todos os meus irmãos, assim como eu, formaram família, veio um pacote de sobrinhos e cunhadas que não acabava mais”, brincou Verônica.

Os demais irmãos moram em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, em Ouro Verde do Oeste, na região oeste, e em Astorga, na região norte.

Para chegar ao número preciso de 138 integrantes da família ao todo, Verônica contou que precisou “quebrar a cabeça”. “É muita gente e tudo de uma vez só. Mas a cada um que eu contava era uma alegria a mais”, afirmou.

2018 com a família unida

Como toda a família mora no Paraná, mas em cidades diferentes, vai ficar difícil de reunir todos para as festas de fim de ano. Mas, no ano que vem, mais precisamente no dia 5 de janeiro, a família inteira de Verônica pretende se reunir para colocar o papo em dia.

“Acho que vamos precisar de muitos encontros para contar tudo o que se passou nesse tempo todo, mas o mais difícil nós já conseguimos. Posso dizer que depois de 50 anos, eu voltei a sorrir. Agora a gente não se larga mais”, disse a costureira.

G1/PR

Comentários
Carregando