Apple libera ligações por Wi-Fi no iPhone, e Vivo adota serviço no Brasil

Novo recurso foi liberado com update do sistema operacional, o iOS 9.3. Para donos de outros celulares, Vivo oferece o app Vivo TU Go.

Os iPhones agora podem realizar ligações pelo Wi-Fi, assim como no aplicativo de mensagens WhatsApp, e a primeira operadora de telefonia móvel a liberar o recurso no Brasil é a Vivo, que anunciou a função nesta terça-feira (22).

A novidade chamada de “Wi-Fi Calling ” foi adicionada à atualização do sistema operacional da Apple, o iOS 9.3, apresentado nesta segunda-feira (21) e já colocado para download. O novo sistema pode ser instalado em iPhones a partir do 5s — as ligações via Wi-Fi também podem ser feitas pelo Apple Watch que rodem o watchOS 2 e pelo Mac com OS X El Captani.

Ao ativar o novo recurso, donos de iPhones podem fazer ligações telefônicas pelo Wi-Fi para smartphones de qualquer marca e para telefones fixos.

Por trafegarem pela rede de internet fixa, as chamadas são feitas usando o DDD original e como se partissem da cidade do usuário, seja lá em qual local ele esteja.

Por isso, o custo de roaming internacional ou local não é cobrado. Mesmo que feita pelo Wi-Fi e não pela rede da operadora, os preços da chamada são os mesmos estabelecidos no plano do cliente.

A Vivo diz ser a primeira operadora da América Latina a usufruir do recurso. AT&T, Sprint e T-Mobile já oferecem a ferramenta nos Estados Unidos. Smartone e 3 já liberaram a novidade em Hong Kong.

Na prática, as ligações via Wi-Fi já era oferecido para todos os clientes por meio do aplicativo Vivo TU Go, que também envia SMS.

Com o novo recurso do iOS 9.3, os donos do iPhone podem dispensar o app para fazer chamadas via Wi-Fi. O requisito permanece obrigatório para quem possuir smartphones que rodem Android, do Google, ou Windows Phone, da Microsoft. É possível ainda usar o recurso no computador.

G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário