fbpx
Assassinato de professor segue sem prisões; diarista afirma que ele ‘tinha vários parceiros’

Polícia já ouviu pelo menos 15 pessoas, mas crime ainda não foi esclarecido. Elessandro foi esquartejado em sua residência

O brutal assassinato do professor universitário Elessandro Milan, ocorrido no último dia 18 em Porto Velho segue sem solução. De acordo com a polícia, pelo menos 15 pessoas já foram ouvidas na delegacia de Homicídios, entre amigos, vizinhos e a diarista que prestava serviços na casa da vítima. Segundo ela, “Milan tinha diferentes parceiros e sempre levava gente diferente na residência”.

A polícia encontrou várias peças de roupas espalhadas nos cômodos da casa, porém ainda não há informação sobre os donos. O caso de acordo com a delegacia especializada é delicado, e várias linhas de investigações estão sendo seguidas e e tem muita gente a ser ouvida, dentre elas a noiva da vítima.

De acordo com as investigações, Elessandro foi morto por pelo menos duas pessoas. Após ter sido assassinado, ele teve a cabeça e braços cortados e deixados em uma bacia plástica. Os criminosos usaram uma faca de cortar pão para esquartejar a vítima.

Elessandro era professor de uma faculdade particular em Porto Velho e mantinha boas relações com alunos. Ele havia se convertido a uma religião evangélica recentemente e estava noivo.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta