fbpx
Assassins Creed – Adaptação do famoso game chega aos cinemas nacionais.

Filme tenta ser o mais próximo possível dos games, mas ignora pontos cruciais.

Eis que chega aos cinemas mais uma adaptação de um game, Assassins Creed pode desagradar aos fãs mais fortes da franquia dos jogos, mas por outro lado já mostra que o filme tem um potencial excelente para uma boa trilogia,  na direção de Justin Kurzel (Os Crimes de Snowtown) e protagonizado pelo ótimo ator Michael Fassbender, é oferecido um filme de origem em que o espectador não precisa conhecer os games para entender a trama do filme.

Na história, o foco é Callum Lynch (Michael Fassbender), um condenado à cadeira elétrica que descobre ser descendente de um membro da Ordem dos Assassinos e através de suas memórias genéticas ele revive as aventuras do guerreiro Aguilar, seu ancestral espanhol que viveu durante o século XV, dotado de novos conhecimentos e habilidades, ele volta aos dias de hoje para enfrentar os templários que buscam um objeto conhecido como a Maçã do Éden, que segundo os templários, tal item pode erradicar a violência.

Se você conhece bem os games, esqueça tudo o que viu por lá, a trama deste filme se passa bem longe de tudo que já foi mostrado entre todos os games, em relance você verá alguns dos personagens que apareceram em alguns instantes nos games, mas assim como no game, duas narrativas correm em tempo paralelo no filme, por ser um filme de apresentação, focaram mais na trama que se passa fora do Animus, por alguns instantes faz parecer que esta parte é mais importante que o que se passa com o Aguilar, a trama que se passa através da memória genética, de certa forma fica parecendo não ser tão importante, e tudo foi revisado e adaptado fazendo com que não ficasse igual ao game, tanto o Animus, quanto o local em que tudo se passa, o famoso ´Salto da Fé` que é uma técnica famosa no game, ficou um pouco mais realista no filme, já que no game o personagem dava um salto de um local extremamente alto e caia ileso em uma carroça com feno, no filme isto ficou um com um pouco mais de sentido fazendo com que não fique tão surreal e deixando o sentido da queda bem diferente, mas há aquelas partes surreais no filme que ficam até bem feitas, como por exemplo as batalhas épicas dos assassinos contra os templários que é explorada de forma convincente e mostra boas sequências de ação e efeitos especiais bem planejados, por outro lado o poder real da ´Maçã do Éden` fica mal explicado no filme, quanto aos aspectos técnicos da produção, a trilha sonora não combina muito com o ambiente do filme, o roteiro é cheio de furos e muita coisa não é bem explicada e o roteiro parece preguiçoso e por vezes apressado, fazendo com que não consiga atingir o clímax perfeito para o filme.

Assassins Creed tem um potencial para uma sequência já que não será mais necessário apresentar ambientes e personagens, mas neste primeiro filme a história é bastante prejudicada pela direção preguiçosa de Justin Kurzel, fazendo com que a curiosidade do espectador não seja tão instigada como deveria, o filme se perde no decorrer da trama e basicamente fica tudo nas costas do protagonista, mas nem tudo está perdido, o filme em si ainda é bem interessante de ser assistido, mesmo com seus erros por parte da adaptação, ainda é possível aproveitar uma boa sessão de cinema e esperar uma ótima seqüência para este filme que caso aconteça, tenho certeza que será uma ótima adaptação bem mais focada e mais tensa.

Assassins Creed estreou dia 12 de Janeiro nos cinemas, confira o trailer.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 thought on “Assassins Creed – Adaptação do famoso game chega aos cinemas nacionais.

Deixe uma resposta