• Homepage
  • >
  • Brasil
  • >
  • Associação repudia fala de secretário que liga ônibus incendiados a PMs

Associação repudia fala de secretário que liga ônibus incendiados a PMs

Associação repudia fala de secretário que liga ônibus incendiados a PMs

Secretário diz que PMs são suspeitos de crimes durante crise na segurança.
Associação afirma que declaração não deveria ser feita sem investigação.

A Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar publicou uma nota de repúdio após uma fala do secretário de Estado de Segurança Pública, André Garcia, durante entrevista coletiva nesta terça-feira (14). Ele disse que policiais militares são suspeitos de cometerem crimes durante o período de crise na segurança.

Na nota de repúdio, a associação defende que é “assustador” divulgar tais informações a público antes que haja investigação.

Na coletiva, André Garcia disse que uma força-tarefa vai investigar a participação de policiais militares em atentados contra ônibus na Grande Vitória. Além disso, falou que já existem mais de 30 denúncias na ouvidoria nacional, em Brasília, sobre os crimes cometidos com suspeita de envolvimento policial.

Nesta quinta-feira (15), a Polícia Civil divulgou imagens de suspeitos de terem ateado fogo em ônibus nos bairros São Torquato e Vila Garrido, em Vila Velha (foto acima).

Confira a nota de repúdio na íntegra:

“A Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo vem a público repudiar, com veemência, a entrevista concedida pelo Secretário de Segurança Pública do Estado do Espírito Santo, Sr. André Garcia, realizada na data de ontem, e transmitida em diversos canais de comunicação.

Nesta terça-feira (14), o citado Secretário afirmou que provavelmente existem policiais militares e familiares ligados diretamente aos horrorosos incidentes ocorridos na Grande Vitória neste período de crise na segurança pública, tais como as queimas de ônibus, homicídios e o assalto ao Convento da Penha.

É assustador que tais afirmações sejam levadas a público antes que haja uma investigação justa, e um processo que respeite os princípios da ampla defesa e contraditório, princípios básicos que permeiam nosso sistema jurídico.

Declarações desta natureza só possuem o intuito de desacreditar, perante a sociedade civil, a Polícia Militar Estadual, que sempre foi sinônimo de orgulho para o Estado, apontado, aliás, como modelo de segurança pública.

A ACSPMBM-ES repudia toda e qualquer declaração que desonre a Polícia Militar do Espírito Santo.

Reafirmamos nosso papel institucional de entidade de classe e continuamos à disposição de nossos associados e dependentes.”

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Deixe uma resposta

Direto de Brasília