Ataques em Paris foram comandados em tempo real a partir da Bélgica

Jornal Le Monde teve acesso às investigações sobre os atentados.  Celular achado no lixo mostra como foi a organização da ação terrorista.

Os atentados de novembro em Paris foram coordenados a partir da Bélgica, de acordo com a edição do jornal Le Monde desta quarta-feira (30). O jornal francês teve acesso às investigações que já permitem traçar os preparativos e o desenrolar das ações que deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos. Os investigadores concluíram que uma “tripla coordenação” ocorreu à distância.

“Começamos”, dizia uma mensagem que foi encontrada em um celular Samsung, que foi jogado em um lixo perto do Bataclan, informou o periódico francês.

De acordo com as investigações, essa foi a mensagem que deu início a ação dos terroristas que invadiram a tradicional casa de espetáculos durante o show da banda de rock “Eagles of Death Metal”, na noite de 13 de novembro. Ela foi recebida pelos terroristas cerca de dois minutos após o carro estacionar nas redondezas.

Às 21h42, quando o SMS foi enviado, o destinatário estava na Bélgica. A linha, que tinha sido aberta na noite anterior foi rapidamente desativada após a mensagem. Durante sua curta existência, foram trocadas 25 mensagens com o aparelho encontrado no lixo.

Um segundo número belga ficou em contato com Abdelhamid Abaaoud, que coordenou o ataque aos restaurantes, destacou o Le Monde. As ligações foram feitas a partir do mesmo lugar de onde a mensagem foi enviada ao aparelho encontrado no lixo.

Com informações do G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário