Ataques, fofocas e muita baixaria; essa é a tônica da campanha da OAB este ano

Simpatizantes se digladiam em redes sociais em uma eleição que está dividindo ao invés de unir a classe

Engana-se quem acha que eleição na OAB é diferente de qualquer outra eleição. É decepcionante, mas é uma dura realidade e a campanha das eleições desse ano comprovam isso. Os candidatos não batem boca nem trocam acusações. No máximo se alfinetam, mantendo a postura que se espera de qualquer postulante a um cargo dessa envergadura.

O problema são os simpatizantes…esses descambaram para a baixaria em níveis tão profundos que dificilmente serão aceitos pedidos de desculpas à posteriori. Os bate-bocas são acalorados, por vezes agressivos e chegamos à maldades.

São três chapas que disputam, a situação, capitaneada por Andrey Cavalcante, cuja primeira eleição foi relativamente tranquila, assim como a condução de sua gestão. Até que começou a campanha. Pessoas que integravam o grupo original (e ainda integram) criaram dissidências e resolveram lançar chapa para entrar na disputa. E escolheram o advogado e juiz eleitoral Juacy Júnior como candidato à presidência. Por fora, se dizendo “terceira via” está o advogado Ernandes Segismundo, que durante décadas foi ligado ao Partido dos Trabalhadores e agora afirma não ter mais nenhuma relação com a legenda.

O problema são os simpatizantes dos três, que passaram a usar artifícios de baixo nível para difamar, ridicularizar a ofender adversários. E abaixo da linha da cintura, passou a valer de tudo, de fofocas sobre vida privada a ilações sobre dívidas, falta de transparência e outros devaneios. E a questão é bem simples, porque exatamente agora todo mundo se preocupa com as contas da OAB, que se arrastam há pelo menos duas décadas? As dívidas da entidade nunca foram novidade, desde a construção das sedes, passando pela quitação de folha de pagamento. A entidade sobrevive graças ao empenho das equipes que a administraram, tanto da atual gestão quanto das anteriores.

Porém agora, com discursos vazios e sem ter propostas concretas, a ordem é bater. Entre as propostas apresentadas pelos candidatos estão coisas como “transmissão ao vivo das sessões das comissões pela internet”. Ora, a maioria dos municípios de Rondônia, assim como a própria capital tem uma internet lixo. É praticamente impossível assistir a um vídeo sem passar raiva. Melhor seria, talvez, gravar e disponibilizar no site da entidade. Outro propõe que a lista sêxtupla para cargos do Quinto Constitucional sejam feitas através de votação direta, o que vai contra o bom senso, uma vez que prevalecerão os candidatos com mais recursos.

Mas o que não se pode ignorar é que a atual gestão fez algo que nenhuma outra fez, que foi a valorização dos advogados em Rondônia. Além do Tribunal de Prerrogativas ser um dos mais fortes dos últimos anos, brigando e fazendo valer os direitos dos advogados, também deu uma fortalecida na imagem e autoestima da classe. Prova são as salas da OAB construídas em praticamente todos os municípios. Amplas, bem decoradas e funcionais. Não passa de bobagem falar em fim de reeleição na Ordem. Se a legislação prevê a possibilidade, que seja feita então. Mas isso não impede a continuidade da permanência no poder, e qualquer pessoa sabe disso. E exemplos não faltam, inclusive no Executivo, onde só é permitida uma recondução. No Acre, por exemplo, o mesmo grupo político vai completar 20 anos no poder. No Brasil temos o PT, que prossegue. O mesmo pode acontecer na OAB, afinal, grupo é grupo.
O mais importante que deve ser observado pelos simpatizantes e pelos próprios candidatos é que eleição passa. Rondônia é um Estado pequeno, e angariar inimizades por uma eleição não é uma tática inteligente. Como também não é inteligente levar o debate para o campo pessoal. De baixaria, bastam as protagonizadas pela classe política.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

3 thoughts on “Ataques, fofocas e muita baixaria; essa é a tônica da campanha da OAB este ano

  1. realmente li sobre ele , mas ta um nenhenem danado , rapaz sao td adulto , ficam nessa de face, insta, qu isso

  2. As duas chapas tem ótimos candidatos, mas Dr.Andrey Cavalcante merece vencer por conta de toda dedicação que ele teve na OAB, é só analisar os fatos de antes e depois de ele estar atuando la.

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: