Áudios revelam que Garotinho agiu contra a PF antes da prisão, diz O Globo

Ex-governador usou aliado para encontro com ministro da Justiça; ‘A conversa não é só institucional, não’

Áudios de interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Federal durante a Operação Chequinho, que culminou com a prisão de Anthony Garotinho, mostram o ex-governador falando com o deputado João Carlos Bacelar (PR-BA) para combinar uma conversa “não só institucional” com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

No dia 23 de outubro, um domingo, Garotinho e sua mulher, Rosinha, se reuniram com o ministro em Brasília, em agenda não divulgada oficialmente. Procurado, Moraes confirmou o encontro e disse que o casal queria fazer uma representação por “suposto abuso de autoridade” contra o delegado da PF em Campos, Paulo Cassiano, responsável pela Chequinho. “Foram informados que o procedimento a ser seguido era protocolar eventual representação, que seria encaminhada à Polícia Federal”, afirmou em nota.

Os áudios das conversas entre Garotinho e Bacelar mostram que o ex-governador procurou inicialmente o deputado para pedir uma reunião com o corregedor-geral da Polícia Federal, Roberto Cordeiro. O parlamentar, porém, oferece a possibilidade de um encontro com Alexandre de Moraes:

“Tô tentando o ministro para você falar com ele amanhã”, disse Bacelar, na gravação feita no sábado, dia 22 de outubro.

No dia seguinte, vem a confirmação. Garotinho quer saber do deputado se ele acha que deveria ir acompanhado de um advogado.

“A conversa não é só institucional, não. É institucional também, mas… Bom… Pondera aí…”, diz o ex-governador.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa em O Globo e ouvir os áudios

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta