Bandidos no Espírito Santo ignoram presença do Exército nas ruas e seguem saqueando e matando

População não sai de casa e ruas ficam desertas na região metropolitana

Mesmo com a chegada da Força Nacional e dos militares do Exército nas ruas da Grande Vitória, a violência continua. Durante a madrugada, um carro foi incendiado na Serra, um tiroteio foi registrado em Vila Velha e um supermercado de Vitória foi saqueado. Os ônibus voltaram a circular, mas o cidadão enfrenta dificuldade e tem medo de sair de casa.

O Espírito Santo está sem a PM nas ruas porque protestos de familiares dos policiais bloqueiam as saídas dos batalhões. As famílias pedem reajuste salarial para a categoria, que é proibida de fazer greve. Desde sábado (4), o estado vive uma onda de violência com mortes, saques e assaltos.

Até agora, foram registradas 75 mortes violentas na Grande Vitória, ante 4 em todo o mês de janeiro, segundo o sindicato da Polícia Civil. O governo ainda não confirmou nenhum número.

Os primeiros homens da Força Nacional de Segurança começaram a chegar ao Espírito Santo na madrugada desta segunda. Eles se juntam às tropas do Exército, que já foram para as ruas no final da tarde desta terça.

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos amanheceu lotada em Vitória. São tantas vítimas que tem motorista esperando há um dia para conseguir fazer boletim de ocorrência.

Nas ruas, o clima é de medo e insegurança. O comércio não abriu as portas, escolas estão sem aulas, postos de saúde e agências bancárias fechadas. Os ônibus só começaram a circular depois das 9h, com a presença do Exército nos terminais.

No Centro de Vitória, nenhum comerciante quis abrir as portas. Na Glória, em Vila Velha, lojas foram fechadas por conta do medo. “Hoje eu estou com medo de correr o risco, porque cadê o policiamento?”, questionou a comerciante Maria da Penha Abreu.

A moradora do bairro da Glória, Luciana Neves, contou que de madrugada aconteceu um tiroteio. Vários criminosos foram detidos pela Guarda Municipal.

“Nossa, foi horrível, eu tinha levantado para ir ao banheiro e ouvi pipocando. Só vi o pessoal da patrulha da prefeitura montando na moto e indo atrás”, afirmou.

Em Santa Rita, também em Vila Velha, criminosos arrombaram a grade de uma loja de calçados, quebraram a vidraça e fugiram levando tudo o que podiam. Em um vídeo, dá para ver uma mulher levando uma arara inteira de sandálias.

“Não tem segurança nas ruas, todo mundo com medo. Impossível trabalhar hoje”, disse a vendedora Jordana Lopes.

Em Cariacica, na avenida Expedito Garcia, a maioria das lojas não abriu as portas por causa da insegurança.

Pontos e terminais vazios
Mesmo com a volta dos ônibus, poucas pessoas esperavam nos pontos ou nos terminais. Os ônibus pararam de circular às 16h desta segunda-feira (7) por causa da onda de violência.

Nesta manhã, o Sindirodoviários-ES informou que os coletivos começaram a sair das garagens após uma reunião dos trabalhadores com o governo.

No entanto, caso alguma violência seja registrada com os coletivos ou motoristas, cobradores e passageiros, a circulação será suspensa, segundo o sindicato. Por segurança, homens do Exército estão nos terminais rodoviários fazendo o policiamento.

Lixo nas ruas
Sem serviços básicos, o lixo está se acumulando nas esquinas. O posto de coleta está cheio e as sacolas se espalhavam por diversos pontos da Grande Vitória.

A Prefeitura de Vitória disse que o serviço na capital já foi normalizado. Em Vila Velha, o recolhimento está sendo feito na parte baixa da cidade e os caminhões devem retomar os serviços na parte alta assim que a segurança for restabelecida. Já a prefeitura da Serra  informou que não houve problemas no município.

Entenda a crise na segurança no ES

– Os PMs reivindicam aumento nos salários, pagamento de benefícios e adicionais e criticam as más condições de trabalho.

– Como os PMs não podem fazer greve, as famílias foram para a frente dos batalhões para impedir a saída das viaturas policiais.

– O bloqueio começou no sábado (4) e atinge a Grande Vitória e cidades como Linhares, Aracruz, Colatina, Cachoeiro de Itapemirim e Piúma.

– Desde então, a Grande Vitória registrou 68 mortes violentas, ante 4 em todo o mês de janeiro, segundo o sindicato da Polícia Civil.

– Escolas, postos de saúde e parte do comércio estão fechados desde segunda-feira (6), quando ônibus também pararam de circular. Os coletivos voltaram a rodar na manhã desta terça (7), mas serão recolhidos novamente às 19h.

– 1.000 homens das Forças Armadas fazem policiamento na Grande Vitória desde segunda; 200 integrantes da Força Nacional começam a atuar nesta terça.

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta