Bigsal: o que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o acidente aéreo

O acidente com um monomotor na manhã de segunda-feira em Florianópolis mobilizou bombeiros e pescadores. A aeronave particular TBM 900 sumiu dos radares três minutos depois de decolar do Aeroporto Internacional Hercílio Luz a caminho de Ji-Paraná, em Rondônia. Os dois, o empresário e pecuarista Robson Guimarães e o piloto Marlon Neves, únicos ocupantes seguem desaparecidos.

Veja o que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o acidente:

Como aconteceu o acidente?

O monomotor TBM 900, com prefixo PP-LIG, decolou às 5h20min do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis, com destino a Ji-Paraná, em Rondônia. Três minutos depois, a aeronave perdeu a comunicação com a torre de controle e desapareceu dos radares.

Qual o trajeto percorrido pela aeronave e onde aconteceu o acidente?

Durante os três minutos no ar, a aeronave percorreu um caminho de cerca de 10 km em direção ao Sul de Florianópolis. Às 7h, os bombeiros do helicóptero Arcanjo localizaram manchas de combustível e destroços do monomotor a cerca de 800 metros da parte leste da Ilha do Campeche.

Quando começou a operação de resgate das vítimas?

A operação conjunta do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) dos Bombeiros, do helicóptero Arcanjo e da Marinha começou às 5h30min, logo após o alerta da Aeronáutica. Os primeiros destroços foram encontrados por volta das 7h. As buscas seguiram, mesmo com dificuldades de visibilidade, até as 20h de segunda-feira, quando foram suspensas. Os trabalhos foram retomados na manhã desta terça-feira.

Como estão sendo realizadas as buscas? 

Três mergulhadores do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) e quatro bombeiros militares seguem nas buscas próximo à Ilha do Campeche, onde os destroços da aeronave foram avistados. A área de atuação dos bombeiros, que na segunda-feira estava restrita aos 50m² da mancha de óleo, foi estendida nesta terça-feira para corresponder ao percurso da praia da Armação até a praia da Joaquina. Os mergulhadores, no entanto, senguem concentrados no mesmo local.

Os bombeiros do Arcanjo fizeram buscas durante toda a segunda-feira e por quarenta minutos nesta terça. A partir desta manhã, eles farão apenas ações pontuais, como sobrevoos ocasionais.

O que já foi encontrado da aeronave? 

Destroços da carcaça vermelha e branca do TBM 900 já foram encontrados, assim como pedaços do assento e objetos pessoais. A maior parte da estrutura, no entanto, ainda não foi resgatada. Os bombeiros acreditam que ela ainda esteja submersa na região.

Quais foram as causas do acidente? 

Ainda não se sabe o que causou o acidente na manhã de segunda-feira. O Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V), braço da Força Aérea Brasileira, irá investigar as causas do acidente. Técnicos sediados em Canoas, no Rio do Grande do Sul, já iniciaram a análise dos destroços encontrados.

Em nota, a FAB informou que “os técnicos já trabalham com levantamento de dados (documentação, meteorologia, plano de voo, inspeção etc). Ainda não é possível levantar hipóteses sobre os fatores que contribuíram para o acidente”.

A investigação não tem prazo final para ser concluída.

As informações são do Diário Catarinense. Para ver a cobertura completa sobre o acidente CLIQUE AQUI!

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário