Bolivianos fecham porto e proíbem travessia por tempo indeterminado

Os bolivianos fecharam o porto de Guayaramerin, cidade que faz fronteira com a cidade brasileira de Guajará Mirim, em Rondônia, por tempo indeterminado. O motivo é a crise energética pela qual a Bolívia está atravessando. Todas as lojas estão fechadas e não existe previsão de reabertura.

O fechamento aconteceu ainda durante o feriado prolongado, e frustrou muitos brasileiros que haviam programado fazer compras na Bolívia. Existia uma expectativa de reabertura nesta segunda-feira, mas não aconteceu.

A Bolívia começou a semana com uma série de manifestações por todo o país. Nesta segunda-feira, a polícia teve que desbloquear algumas estradas que dão acesso à cidade de Santa Cruz de La Sierra.

Além disso, marchas e bloqueios estão mobilizados por diferentes demandas. Em La Paz, os operários marcham para exigir que se reverta o fechamento da National Textile Company Estratégica (Enatex). Também protestam os portadores de necessidades especiais, que querem um bônus mensal de 500 bolivianos.

Ruas estão desertas em Guayaramerin
Ruas estão desertas em Guayaramerin
gm2
Ruas estão desertas em Guayaramerin
gm3
Ruas estão desertas em Guayaramerin

No departamento de La Paz, moradores da região de El Alto começaram esta manhã um bloqueio na estrada para Viacha, exigindo que seus representantes no Conselho Municipal apresentem relatórios sobre suas atividades e compromissos com a comunidade.

Fechamento da estrada em Viacha
Fechamento da estrada em Viacha
Estrada fechada em Sucre
Estrada fechada em Sucre
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário