Bolsonaro: “erro da ditadura foi torturar e não matar”

O deputado federal deu mais motivo para sua cassação

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) deu mais motivo para sua cassação nesta sexta-feira (8), durante participação no programa Pânico, da rádio Jovem Pan.

Alvo de processo no Conselho de Ética da Câmara por apologia à tortura, depois de ter reverenciado o coronel reformado Brilhante Ustra, torturador do período da ditadura militar, durante seu voto pelo impeachment da presidente Dilma em abril desse ano, Bolsonaro disse não se arrepender de suas declarações.

Para piorar, ele reiterou a sua opinião, mesmo enquanto deputado federal. “O erro da ditadura foi torturar e não matar. Naquela época existiam grandes debatedores. O período de 64 foi pintado errado pelo PT. Quem tem dúvida, pergunte para o vovô. E veja como o Brasil era naquela época e compare com hoje em dia”, afirmou sobre a ditadura.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

2 thoughts on “Bolsonaro: “erro da ditadura foi torturar e não matar”

  1. Acho que o Bolsonaro está fazendo campanha pra outra pessoa, e não para ele. Guardando o seu populismo para apoiar outro, só pode.. Sempre que está com um pé para se eleger, entra em polêmica para ser hostilizado, afastado, cassado.. Já que seria alvejado, pq não pede logo uma Intervenção dos Militares? Ou é apenas um político dentro de uma farda, não é mais militar? Não o vejo defendendo eleições pra agora urgennte, só para 2018 como se a população pudesse esperar com fome, doente, com medo. . Não o vejo defendendo os servidores públicos da educação e saúde, vejo-o defendendo a disciplina militar… Será ele uma farsa? Não apóia os intervencionistas, lamentável. . Queria dizer, aqui não é Israel.

Deixe uma resposta