Bombeiros do DF são infectados durante treinamento em caverna

Bombeiros do Distrito Federal que participaram de um curso de resgate em uma caverna na Chapada Imperial, em Brazlândia, no Distrito Federal, estão internados com suspeita de histoplasmose – infecção causada pela inalação de esporos de um fungo que é encontrado em fezes de pássaros e de morcegos.

O treinamento foi há cerca de três semanas, mas só agora os sintomas da doença começaram a ser sentidos pelo grupo. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

“Como a doença se manifesta somente após algumas semanas, só agora alguns militares começaram a perceber os sintomas.”

Segundo a corporação, pelo menos 12 pessoas, entre alunos e instrutores, apresentaram dores de cabeça e febre persistente. Todos estão sendo atendidos no Hospital Maria Auxiliadora, uma instituição privada na região do Gama.

Ao G1, os bombeiros disseram que, durante a preparação do teste, os instrutores não perceberam a quantidade de morcegos que havia no local. Durante o treinamento, participaram alunos, instrutores, médicos dos bombeiros e seguranças. O número de pessoas, ao todo, que esteve na caverna não foi divulgado pelos militares até a publicação desta reportagem.

A corporação disse ainda que a Vigilância Epidemiológica e a Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde foram acionadas para acompanhamento e confirmação do diagnóstico inicial. (veja nota completa abaixo).

Nota do Corpo de Bombeiros:

“Diante das notícias divulgadas em alguns veículos de informação acerca de situação envolvendo militares da corporação, o Corpo de Bombeiros Militar do DF vem a público esclarecer que:

Em razão da natureza das atividades do Corpo de Bombeiros, que inclui atividades de busca e resgate em locais inóspitos, faz-se necessária a adequada preparação dos militares para missões em locais ermos e cavernas, cujo treinamento ocorre por meio de cursos de especialização como o Curso de Tripulante Operacional.

Destarte, os militares do CBMDF passaram por treinamento de busca e salvamento em ambiente natural, situado na região de Brazlândia, a cerca de 15 dias. Após uma semana de ocorrido o treinamento, alguns militares passaram a apresentar sintomas semelhantes aos da gripe, com febre e desconforto respiratório, os quais persistiram após o uso de medicação comumente indicada para estes casos, levando-os a buscar atendimento médico para um diagnóstico mais assertivo.

Diante do ocorrido, o CBMDF destacou um médico epidemiologista da corporação para acompanhar os casos e tomar as medidas que o caso requer.

As informações atualizadas na data de hoje indicam que 10 (dez) militares foram internados na rede hospitalar conveniada à corporação, sendo que 01 (um) já obteve alta e outros 02 (dois) têm previsão de alta em breve, em razão do quadro clínico que apresentam. Além destes, outros 10 (dez) militares também procuraram atendimento e não necessitaram de internação.

Outrossim, informo-vos que a Vigilância Epidemiológica e a Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde foram acionadas para acompanhamento e confirmação do diagnóstico inicial. O Corpo de Bombeiros esclarece que tem prestado todo o apoio necessário aos militares envolvidos, designando um corpo médico especializado para acompanhar o caso.”

Fonte: g1/df
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta