Caerd não tem competência para tocar obras, diz TCU ao suspender obras na capital, de novo

O plenário do Tribunal de Contas da União determinou, através do Acórdão 1308/2017 que o Ministério das Cidades se abstenha de destinar recursos federais para a execução das obras do sistema de esgotamento sanitário de Porto Velho – Sistema Sul. A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial da União.

Pela decisão, a liberação só deverá ocorrer caso haja a anulação do contrato 118/PGE-2015 e a consequente realização de um novo certame licitatório. Segundo os ministros do TCU, o contrato 118/PGE possui vícios insanáveis, já que foi identificado o sobre preço de aproximadamente R$ 250 milhões.

As irregularidades foram detectadas no ano passado pelo Fiscobrás que relatou o caso ao TCU, que resolveu suspender o contrato até que o tribunal analisasse o caso. Por fim, veio o veredito: o Governo do Estado de Rondônia ‘não conduziu adequadamente as etapas de planejamento, abertura do processo licitatório, acompanhamento, gerenciamento do projeto e das obras’, além do quê, ‘o quadro de profissionais da Caerd com expertise no porte deste empreendimento está aquém do mínimo necessário’.

Com essa decisão, a Caerd volta à estaca zero e Porto Velho, mais uma vez, será penalizada.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta