Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Câmeras de segurança mostram explosão em aeroporto na Turquia; 41 morreram. Assista

0

Um vídeo de câmeras de segurança registraram o momento em que um suspeito é atingido por um policial no aeroporto de Istambul

Em seguida, uma explosão ocorre, provavelmente acionada pelo próprio homem no chão, que estaria com um colete de explosivos.

O número de mortos no atentado ocorrido no Aeroporto Internacional de Istambul, na Turquia, subiu para 41 e o de feridos, para 239, de acordo com um novo balanço divulgado nesta manhã de quarta-feira (29). Na terça (28), três suicidas provocaram explosões no terminal internacional do Ataturk, que é o 3º aeroporto mais movimentado da Europa, atrás de Heathrow (Londres) e Charles de Gaulle (Paris).

Entre os mortos que foram identificados, estão 23 turcos e 13 estrangeiros. Entre os estrangeiros, estão cinco sauditas, dois iraquianos, um chinês, um jordaniano, um tunisiano, um uzbeque, um iraniano e um ucraniano. Entre os 13 estrangeiros, três tinham dupla nacionalidade. O balanço anterior apontava 36 mortos e 147 feridos. O Itamaraty disse não ter registro de brasileiros entre vítimas.

O Ataturk reabriu na quarta-feira (29) após ficar fechado por cerca de cinco horas. O jornal “Hürriyet” informa, no entanto, que poucos voos são previstos, segundo a agência Efe. Os voos seguiam cancelados ou atrasados nesta manhã, segundo informações do aeroporto disponíveis na web.

O que sabemos até aqui:
– Três explosões atingiram o terminal internacional antes da área do raio X
– São 41 mortos e 239 feridos, segundo o governo da Turquia
– Antes de se explodirem, 3 homens abriram fogo com fuzis
– Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, mas há suspeitas de uma ação do Estado Islâmico

Os familiares se desesperaram durante o processo de reconhecimento dos corpos. A TV turca informou durante a madrugada que 18 corpos já foram liberados para familiares na Turquia. O Ministério da Saúde informou que 41 pessoas ainda precisam de cuidados intensivos.

Com G1 e UOL

Comentários
Carregando