• Homepage
  • >
  • Brasil
  • >
  • Cédulas falsas são colocadas à venda em site e anunciante garante qualidade

Cédulas falsas são colocadas à venda em site e anunciante garante qualidade

Cédulas falsas são colocadas à venda em site e anunciante garante qualidade

Falsário relata por mensagem que o envio do dinheiro é feito pelos Correios.
Em vídeo, a pessoa mostra as características das notas e como são feitas.

Notas de dinheiro falsificadas são colocadas à venda no site de compra e vendas OLX. Em uma publicação feita no dia 13 deste mês, o anunciante, que se identifica como Nelson Kiyoshi 144, faz uma espécie de propaganda do seu negócio ilegal. Em vídeo enviado ao G1, o anunciante mostra as características das notas e a forma em que são feitas, garantindo até a qualidade da falsificação.

Em uma conversa também registrada pelo G1, por meio de mensagens em um aplicativo de celular, o homem explicou que o envio do dinheiro é feito pelos Correios, porque segundo ele, o detector da empresa de correspondência não identifica as notas. “Sou de São Paulo. Faço o envio via Sedex 10. Não tem problema. O raio X dos Correios não pega papel. Após o depósito, eu envio em até dois dias úteis. Mando lacrado e chega lacrado”, disse.

Em outro trecho da conversa, o anunciante afirma que o pagamento pode ser efetuado com depósito ou transferência bancária, mas a conta não chegou a ser informada pelo autor das mensagens. “Me passa seu endereço certinho aí. Cidade, bairro, ponto de referência, nome da pessoa que vai receber. Após isso, te passo a conta para a transação”, escreveu.

Conversa com vendedor de notas falsas (Foto: Reprodução/WhatsApp)

                                                    Conversa com vendedor de notas falsas (Foto: Reprodução/WhatsApp)

A pessoa informou que trabalha com a falsificação de notas há 10 anos e que tem clientes por todo o Brasil. “Mano eu trampo (trabalho) com isso. Tenho referência do meu trampo. Tenho um cliente de Teresina, eu uso DDD de todo estado”, relatou.

Ao final da conversa, o anunciante explicou quanto custa os pacotes de notas falsas, as características das cédulas falsas. “A cada R$ 200 (em notas verdadeiras) vai R$ 2.000 (falso). R$ 300 vai R$ 4.000 até R$ 800 vai R$ 1.4000. Tamanho, recorte, alinhamento, texturas e cores perfeitas, marca d’agua, passa na caneta, fita de segurança dentro realista, fita holográfica idêntica original e não é grossa, na grossura ideal”, descreveu.

De acordo com o artigo 289 do Código Penal, falsificar, fabricar ou alterar moeda metálica ou papel moeda de curso legal no país ou no estrangeiro é crime. A pena varia de três a 12 anos de prisão e multa. Estará sujeito à mesma pena quem importar ou exportar, adquirir, vender, trocar, ceder, emprestar, guardar ou introduzir na circulação moeda falsa. Mesmo tendo recebido de boa fé, comete crime, com pena prevista de seis meses a dois anos e multa, quem a recebe e a mantém em circulação, repassando a outros.

Notas falsas são vendidas em site de compra e venda (Foto: Reprodução/OLX)

                      Notas falsas são vendidas em site de compra e venda (Foto: Reprodução/OLX)

Fiscalização

Por meio de nota, os Correios informou que não aceitam a postagem de remessas contendo moeda de valor corrente, sendo essa uma restrição legal. Para garantir o cumprimento dessa norma, a empresa adota ações em conjunto com os órgãos de fiscalização para combater o envio e o recebimento de objetos ilícitos nas remessas postais.

“Essas ações são desenvolvidas com o uso de equipamentos de raios-x e espectrômetros de massa (que identificam substâncias por meio da análise de micropartículas). A inspeção ocorre de forma sistemática e conta com empregados dos Correios treinados e especializados nessa atividade que é executada em caráter reservado”, disse a nota.

A empresa acrescentou ainda que nos casos em que o processo de fiscalização identifica a presença de conteúdo proibido, os ‘Correios fazem a retenção do objeto e informam o órgão competente para adoção das medidas legais cabíveis. Por ser assunto relacionado com a segurança postal, a empresa não divulga detalhes dessas ações e nem estatísticas para não prejudicar o andamento das operações’.

O G1 tentou falar com a assessoria da Superintendência da Policia Federal no Piauí, mas ninguém foi encontrada para falar sobre o assunto. O site de compra e venda OLX informou que em breve vai se posicionar sobre o caso.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Por favor, dê um like em nossa página no Facebook
Placeholder
Anterior «
Próximo »

Deixe uma resposta

Direto de Brasília

Associado da Liga de Defesa da Internet