Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Chefe da Casa Civil estaria impedindo diálogo entre servidores da Caerd e governo

0

O Governador Confúcio Moura deve enfrentar a sua primeira greve por atraso na folha de pagamento de servidores públicos. A greve se dará no CPA e tem como atores a Diretoria da CAERD e os colaboradores da Companhia que estão com os salários em atraso.

A causa, razão, motivo e circunstância do atraso na folha de pagamento dos funcionários da CAERD, chama-se Iacira Azamor, que resolveu priorizar a contratação de comissionados e pagamento de fornecedores, de forma desenfreada e descabida, causando descontrole nas finanças da Companhia.

O Problema deve ficar ainda pior, financeiramente falando, pois a Companhia tem apenas dois meses de arrecadação até o fim de 2017 (Novembro e Dezembro), mas tem pelo menos 5 folhas a serem pagas (Setembro, Outubro, Novembro, Dezembro e o Décimo). Não bastasse isso, as arrecadações nos primeiros meses do ano normalmente despencam e 2018 não deve ser diferente, ou seja, a tendência é da Companhia continuar com o atraso até o fim do mandato de Confúcio Moura, caso não haja vontade política de se resolver o imbróglio.

Emerson Castro, fator conflitante

Após uma reunião do Sindicato que representa a categoria dos trabalhadores da CAERD, com os principais Secretários do Governo, o Chefe da Casa Civil Emerson Castro tem criado dificuldades dentro do próprio Governo para que o diálogo chegue até o Governador, que deve dar uma resposta sobre intenção de dialogo do executivo com os trabalhadores.

Na reunião que contou com a participação de George Braga, Wagner Garcia, Juraci Jorge e Emerson Castro, o sindicato apresentou algumas alternativas ao Executivo, ficou combinado que ao menos a folha de pagamento seria regularizada e iniciariam um diálogo para tratar do futuro da Caerd e dos seus trabalhadores efetivos.

Entretanto, nenhum resposta retornou da reunião. Nos últimos dias, fontes palacianas, revelaram discussões acaloradas e mal-estar entre o governador, seus principais secretários de Estado com a pessoa de Emerson Castro.

Exoneração dos Comissionados e Bloqueio das contas da CAERD

Enquanto o governa tenta alinhar, o Sindicato dos Urbanitários de Rondônia pediu que a Justiça do Trabalho bloqueie todas as contas da Caerd, para que a empresa pague os três meses de salários atrasados, além de encargos e rescisões.

Na audiência e em Contestação, a Companhia informou incorretamente o juíz ao afirmar que a folha de agosto estaria quitada, entretanto restou um pequena parcela de trabalhadores que receberam dois dias depois da audiência, e alguns que receberam hoje (06/11), segundo o sindicato.

Após a declaração de inconstitucionalidade da Lei n. 3.778/2016 do Estado de Rondônia, que criou cargos comissionados na Companhia de Águas e Esgotos do estado, o TRT da 14ª Região determinou para que a Presidente Iacira Azamor exonerasse todos os cargos comissionados, a CAERD tem até esta segunda-feira (06/11) para exonerar absolutamente todos os CAS’s.

CAERD quer mais cargos comissionados

Mesmo com dificuldades financeiras, com folha de pagamento em atraso por três meses e sem quitar seus débitos e com várias decisões judiciais determinando a redução nos quadros e exoneração de todos os cargos comissionados, a companhia de Águas e Esgotos de Rondônia – CAERD, pretende criar 48 cargos temporários.

A mensagem 243 protocolada na Assembléia Legislativa, afirma que existe a necessidade desses cargos para a gestão das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que nunca foram adiante.

Os deputados retiraram de pauta a votação do projeto. Alguns declararam na tribuna serem contrários, frente a pressão dos colaboradores da empresa que lotaram o auditório da casa de leis.

De acordo com informações do Sindur, a paralisação acontece a partir desta terça-feira em frente ao CPA – Centro Político Administrativo, na Av. Farquar, a partir das 7 da manhã.

Comentários
Carregando