Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Como o Facebook quase acabou com a transferência da Eucatur para a Solimões

0

Equipe da ANTT usou rede social para levantar questionamentos sobre relação matrimonial entre cunhado e irmã de senador

Limpando

A Eucatur, que já foi apontada como uma das maiores devedoras da previdência do país, está “se limpando”. A empresa da família do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), chegou a ter vários imóveis postos à leilão, entre eles a residência que o senador ocupa em Ji-Paraná deve ter sido beneficiada com o Refis, uma manobra que o governo encontrou de “ajudar” as empresas em dificuldades. Se há um ano a Eucatur devia mais de R$ 730 milhões, essa conta agora é de pouco mais de R$ 7 milhões. Para não perder a concessão de transporte de passageiros, a empresa fez uma série de manobras e transferiu os serviços para outra, que também pertence à família Gurgacz, enquanto ganhava fôlego. Quem opera em nome da Eucatur é a Solimões. A transferência é legal, apesar de questionável, vez que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) deveria ter feito um chamamento público, etc. Mas isso é assunto para outra hora.

Processo administrativo

Durante a fase de transferência, era necessário que a Solimões entregasse os dados da empresa para que fosse dado andamento ao processo. Um relatório do especialista em regulação da ANTT, Yuri Faria, apontou algumas inconsistências nos documentos entregues e encaminhou à Superintendência de Governança Regulatória (SUREG), a abertura de um processo administrativo e pontuou que faltavam documentos. No material enviado, segundo o especialista, constava uma declaração na qual os pretendentes (Solimões) afirmam, apenas, ter grau de parentesco em linha reta e colateral com a senhora Nair Ventorin Gurgacz, sócia da empresa Transportes Coletivos Serra Azul, com participação de 5% nas cotas. O técnico apontou ainda que, “a informação apresentada pelos requerentes, no entanto, mostrou-se inconsistente com o banco de dados administrado por essa gerência por omitir outras participações societárias”.

Ofícios

A ANTT então encaminhou pedido para que a Solimões esclarecesse, em outra declaração, essa registrada em cartório, com firma reconhecida, explicitando as relações de parentesco entre os sócios das empresas Viação Nova Integração, Eucatur União Cascavel e Transportes Coletivos Serra Azul. As informações foram prestadas pelas empresas e traziam, segundo a ANTT, “divergências de informações em relação à primeira declaração, ao passo que foram incluídos outros familiares dos pretendentes, bem como outras empresas nas quais Nair Gurgacz possui participação societária”.

Facebook

A ANTT também solicitou esclarecimentos sobre a eventual relação profissional e parental entre Jaqueline Aparecida Gurgacz Ferreira e José Antônio Ferreira e foi informada que “não existe qualquer relação parental ou profissional entre as pessoas físicas mencionadas”. Mas, o pessoal da ANTT resolveu ir fundo, e procurou no Facebook e no Google, onde encontrou fotos e uma declaração, em tese de mestrado, onde Jaqueline agradecia o marido, José Antônio Ferreira “aquele com quem compartilho a vida, em todos os momentos, sem distinções”. A partir disso, o especialista sugeriu um novo pedido de informações e a comprovação de inexistência de vínculo conjugal, com menção “expressa à possibilidade de configuração da prática criminosa de falsidade ideológica”.

Ok, mas e daí?

Essa situação gerou o processo 50500.355085/2016-73. A empresária encaminhou uma certidão de averbação de divórcio datada de 2014, mostrando que não tem mais relação matrimonial. Para quem acompanhou o raciocínio até aqui, é importante destacar o seguinte, o processo administrativo da ANTT revelou que, assim como as empreiteiras, que mantinham uma espécie de clube, o transporte público no país é exatamente igual. Foram expostas três empresas, com quadro societário semelhante, que detém concessões em vários estados. A Eucatur está se regularizando porque ficou inviabilizada para receber recursos públicos, ou seja, não podia manter contratos com prefeituras e governos, uma das principais fontes de receitas das empresas de transporte.

Tem que mudar

O sistema precisa mudar, é necessário que novas empresas entrem no mercado, mas novas de fato, e não apenas nos nomes. É através da concorrência e da oferta, que o serviço melhora. Queixas contra as empresas de transportes são inúmeras, reclamações trabalhistas, e principalmente, a proibição de políticos e/ou seus parentes, de participarem dessas concessões. Vale lembrar que a família Gurgacz, além de transporte, também tem concessão de empresas de comunicação (rádios e TVs). 

Tic-tac

Vai ter barulho nas bandas de Rondon nos próximos dias.

Disfunção erétil ocorre em metade dos homens com diabetes

De acordo com um novo estudo, publicado no periódico científico Diabetic Medicine, a disfunção erétil afeta mais da metade dos homens com diabetes. Ao todo, 52,5% homens diabéticos sofrem com a condição. Do total, segundo a pesquisa, 66,3% possuem diabetes tipo 2 e 37,5% do tipo 1. Estudos anteriores já indicaram que a diabetes pode comprometer os nervos e vasos sanguíneos necessários para a ereção. Agora, os pesquisadores acreditam que os novos resultados podem incentivar os homens que sofrem de diabetes a fazer exames e a buscar intervenções para o problema. Pesquisadores da Universidade de Padova, na Itália, analisaram dados de 145 pesquisas que estudaram a relação entre a diabetes e a disfunção erétil. No total, 88.577 homens com os tipos 1 e 2 da doença participaram do levantamento. Os resultados revelaram que ter diabetes aumenta significantemente o risco de desenvolver a impotência sexual. A dificuldade em manter a ereção ocorre por causa do comprometimento dos vasos sanguíneos, independente da produção de hormônios e dos estímulos suficientes. No entanto, ainda não se sabe por que os que possuem o tipo 2 da doença são os mais afetados.

Comentários
Carregando