Coluna – Confira nomes que teriam recebido propina das usinas e que foram identificados pelo delator da Odebrecht

In Painel Político
Espalhe essa informação

E ainda, processo contra Lúcio Antônio Mosquini, que foi preso em 2014 dorme nas gavetas magistrais do STF; Cassol contesta delator, “acusações são levianas e descabidas”

Igual água de poço

Parado. Assim está a tramitação dos inquéritos referentes ao deputado federal Lúcio Mosquini (PMDB) preso na Operação Ludus (2014) da Polícia Federal por desvios nas obras do Espaço Alternativo, em Porto Velho. Na tramitação, o último movimento aconteceu no dia 29/08/2016 quando ficou “concluso ao relator”, no caso a ministra Rosa Weber. Desde então, dorme em berço esplêndido nas gavetas magistrais do Supremo.

Enquanto isso

A população continua desfrutando das obras inacabadas em Porto Velho. Para quem não sabe ou não lembra, Mosquini e o ex-prefeito de Ouro Preto Alex Testoni, além de outras pessoas, foram acusadas de fraudar licitação e superfaturar as obras. O local nunca foi apropriado para o projeto mirabolante, que destruiu as poucas mudas de árvores que haviam sobrado da maracutaia de Roberto Sobrinho e transformou o espaço em um deserto de concreto que as famílias não conseguem utilizar graças aos marginais que ocupam o local. Obrigado Mosquini, Porto Velho também te ama!

Não passa de foguetório nas ruas

Quando se vê uma manchete do tipo “policiais invadem o Congresso em protesto contra a reforma da Previdência” duvide da palavra “invadem“. Isso não acontece. Quem conhece o Congresso sabe que ao estar dentro, o que acontece do lado de fora se torna invisível. Manifestações que você vê na televisão só acontece nas ruas. Dentro a história é outra. Os parlamentares e assessores ficam indiferentes ao que ocorre do lado de fora porque não conseguem ver nem ouvir. E invadir mesmo é praticamente impossível, dada a arquitetura e logística do local.

Até quando?

Vereadores continuam vindo à Brasília “em busca de recursos” ou para “audiências com deputados” que não passa de conversa fiada, mas as diárias são pagas pelo contribuinte. Alguém precisa colocar um freio nessas viagens, que não tem nenhum propósito convincente. Vale lembrar que todos os deputados e senadores mantém escritórios de representação em Rondônia e todas as semanas estão circulando pelo estado.

Listão da Odebrecht

Muita gente me cobrou os nomes dos traquinos cujos apelidos aparecem na lista que PAINEL POLÍTICO divulgou com exclusividade na última coluna. A questão é a seguinte, a lista foi repassada pelo delator Henrique Valadares à justiça, mas apenas alguns nomes ele identificou. Ele recomendou ao seu interrogador que questionasse o ex-diretor da Odebrecht José Bonifácio Pinto, que atuava em Rondônia na época da construção das usinas e era, segundo o delator, responsável pelo pagamento de propina. Os nomes que foram identificados você confere no final da coluna. VALE LEMBRAR QUE OS NOMES FORAM APRESENTADOS PELO DELATOR, TRATAM-SE DE ACUSAÇÕES E NÃO DE CONDENAÇÕES.

Minimizando danos

O senador Ivo Cassol enviou nota através de sua assessoria onde reafirma que seu nome aparece como “retaliação por ter ‘denunciado’ a isenção fiscal dada pelo Estado às usinas. Para quem está boiando sobre o assunto porque ficar por dentro AQUI, AQUI e AQUI.

Para situar

Alguns veículos de comunicação divulgaram a venda de gado que teria sido feita pelo senador um dia antes da lista de Fachin ser divulgada e criaram uma “teoria conspiratória” sobre o assunto. Por isso, a nota que você vai ler abaixo contém explicações sobre o caso (nós aqui não publicamos). A parte que interessa mesmo é o trecho em que ele fala sobre a questão das usinas e a viagem aos EUA. Confira a nota:

Nota do Senador Ivo Cassol

Jornalismo investigativo SIM, difamação NÃO.

Sobre as falsas notícias disseminadas em alguns jornais eletrônicos e outros meios de comunicação, repudiamos a difamação e em respeito às pessoas de bem, esclarecemos os fatos:

1 – Sobre venda de gado – nenhum abate de gado ou venda de animais é realizado pelo Grupo Cassol sem estar declarado nos órgãos de controle fiscal e de sanidade animal.

As fazendas do Grupo Cassol produzem boi de engorda através do método confinamento. Ressalto que o gado em confinamento tem dia certo para o abate em função de seu ciclo de engorda.

Ademais, os recursos do abate foram destinados para investimentos na construção da usina hidrelétrica do Grupo, a Unidade de Caximbo Alto em Alta Floresta.

Igualmente, há de esclarecer que a venda de gado foi feita para outro frigorífico e não para empresa Fertipar e Cairu, que nada tem a ver com o assunto e o tal frigorífico Fetipar nem existe em Rondônia.

2 – Sobre a viagem para os EUA em 2012 – NADA, absolutamente NADA da viagem da minha família aos EUA foi patrocinado por alguém a não ser por mim e pela minha família.

Passagens aéreas e estadias podem ser comprovadas através das faturas dos cartões de crédito, documentos estes que estão a disposição da justiça.

3 – Reafirmo que as acusações são levianas e descabidas, desconheço qualquer pagamento a meus advogados por terceiros. Os advogados possuem procuração somente para me defender e atuar nos processos do início ao fim, jamais autorizei qualquer pessoa a pagar qualquer conta que seja, muito menos usar meu nome para negociações com qualquer empresa ou grupo econômico.

4 – Reafirmo, ainda, que vejo essa denúncia como uma retaliação por ter sido contra a isenção de UM BILHÃO de impostos dado em 2.011 aos consórcios que construíram as usinas Jirau e Santo Antônio.

Com fé em Deus, com o apoio de minha família e as pessoas de bem tenho certeza que estarei presente para vencer mais essa incrédula batalha, de ter que provar a verdade, como tantas outras batalhas que já provei e venci nos tribunais, mesmo tendo sido condenado por antecipação por alguns setores da mídia e os adversários políticos.

Brasília/DF, 18 de abril de 2.017.

Senador Ivo Cassol

Álcool compromete o cérebro mesmo sem causar embriaguez

Pessoas que bebem com frequência tendem a não sentir os efeitos do álcool, mesmo depois de algumas doses. No entanto, ainda é preciso ter cuidado. De acordo com estudo liderado pelo Sistema de Saúde para Veteranos do Exército de San Diego, nos Estados Unidos, embora não percebam, essas pessoas também enfrentam problemas cognitivos como redução da velocidade das habilidades motoras, memória de curto prazo e processamento complexo, o que pode ser grave. Os maiores consumidores de álcool também demonstraram menor autopercepção de danos do que aqueles que costumam beber menos, o que pode resultar em comportamentos ainda mais arriscados quando bêbados. “Em geral, existe uma crença de que quem está acostumado a beber muito pode lidar com o álcool e que muitas tarefas diárias comuns não são afetadas pelo consumo”, disse Ty Brumback, autor do estudo e especialista em tratamento de vício, ao Daily Mail. Embora os “bebedores experientes” tenham apresentado menos erros no teste dos pinos, seu desempenho no Teste de Substituição foi semelhante ao dos que bebem casualmente. Porém, o detalhe mais perigoso é que os experientes apresentaram menores níveis de autopercepção. Isso significa que eles podem realizar algumas atividades que mostram um nível de embriaguez menor do que o real.

LISTA DA ODEBRECHT COM ALGUNS NOMES IDENTIFICADOS PELO DELATOR HENRIQUE VALADARES

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

“Mostrei projeto do sítio e do tríplex a Lula”, diz executivo da OAS

“Mostrei projeto do sítio e do tríplex a Lula”, diz executivo da OAS

Espalhe essa informação A Operação Lava Jato atribui as duas propriedades ao ex-presidente. Ele, no entanto, nega as acusações

Read More...
TJ-SP realiza julgamento de lei que proíbe sacrifício religioso de animais

TJ-SP realiza julgamento de lei que proíbe sacrifício religioso de animais

Espalhe essa informação A maioria dos envolvidos representava grupos de umbanda e candomblé, inclusive de fora de São Paulo,

Read More...
‘Receios mais graves foram afastados’, diz Moro sobre projeto do abuso que CCJ aprovou

‘Receios mais graves foram afastados’, diz Moro sobre projeto do abuso que CCJ aprovou

Espalhe essa informação Juiz da Lava Jato avalia que aprovação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado representa

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu