Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Confúcio assume demissão de 2.800 trabalhadores

0

Abrindo

Em novembro de 2010 a coluna Painel Político era intitulada “A implantação da ditadura do proletariado” e nela eu trazia algumas observações sobre o início do controle da imprensa por parte do PT e os demais partidos de “esquerda”(?) que tentam “acabar com essa imprensa irresponsável e podre”. Na época comentei sobre o fato da “companheirada” estar querendo criar o “Conselho de Jornalismo” que quer decidir o que pode ou não ser publicado pela imprensa.

Pois bem

A ditadura está vencendo lenta e gradualmente. A última vítima dela foi a jornalista Raquel Sheherazade, apresentadora do insosso Jornal do SBT, que só ganhou notoriedade com a chegada dela. Discordo de várias opiniões expressadas por ela naquela bancada, mas nem por isso desejei que ela fosse demitida ou calada de alguma forma. Porém, após a mesma expressar uma opinião sobre um marginal que havia sido amarrado em um poste, a patrulha esquerdista entrou em ação. O primeiro a pular foi o ex-BBB (curriculo) e deputado federal Jean Wyllis (PSOL). Em artigo na revista petista Carta Capital, ele a chamou de “cafona” e tascou, “desacreditar o Estado Democrático de Direito em cadeia nacional para defender linchamento de um adolescente negro, pobre e supostamente delinquente é apodrecer nossa época; é fazer, do Brasil, o cu do mundo!”.

Interessante

Observar que por mais carolas que sejam os movimentos de direita, percebe-se uma divisão clara do modo de pensar em relação aos xiitas de esquerda. Edir Macedo, líder religioso e dono da segunda maior rede de televisão do pais, prega em seus templos que “a Globo é o canal do diabo”, mas não diz “vamos invadir a Globo e calar os jornalistas”. Já a companheirada adoraria mandar Sheherazade para a Sibéria, para onde iam os inimigos de Stalin. O patrulhamento feito pelos radicais de esquerda, aliados a alguns de seus micos amestrados que pegam carona em discursos prontos desde a década de 70 (que aliás nunca mudaram, diga-se de passagem), ganham força junto a um governo populista, cujo discurso “em prol das minorias” acha que justifica táticas fascistas, como a de calar a imprensa.

Na verdade

A companheirada nunca gostou de ser contrariada. E isso não é de hoje. O PT é o que é graças a imprensa, que sufocada pela ditadura, apoiava qualquer movimento contrário ao militarismo. Quando o PT chega ao poder, percebe que a mesma mídia que lhe ajudou durante décadas, não fechava os olhos para as bandalheiras da companheirada. A partir daí, começa um movimento para tentar controlar a imprensa. O conselho não vingou, mas outros métodos sim, principalmente o de demonizar quem faz discurso contrário.

Limite

O que a jornalista do SBT declarou não foi nada diferente do que lemos nos perfis de facebook de milhares de pessoas, a indignação pela total incapacidade do Estado de prover a segurança pública em todas as esferas, inclusive os crimes de colarinho branco. O país assiste atônito as manobras de advogados e militantes em tentar “politizar” o escândalo do mensalão, as mordomias que são oferecidas aos réus que estão presos. Porém, não lemos na Carta Capital nenhum artigo furioso de Jean Wyllis ou qualquer outro esquerdista defendendo o trabalho para “adolescente negro, pobre e supostamente delinquente”.

É por essas

E por outras que os brasileiros querem fazer justiça com as próprias mãos. O Brasil se tornou um país esquerdopata e pior, sem o suficiente grau de instrução sobre grandes pensadores de esquerda. Os que se dispõe a defender o silêncio de Sheherazade e da imprensa, seja ela de direita ou de esquerda, precisam estudar, ler, conhecer com profundidade uma linha ideológica e não apenas ficar repetindo o que lê nas timelines do facebook. Notícia a gente lê, analisa e interpreta. Só compartilha se ela tiver fundamento ou argumentos convincentes. Do contrário é fofoca. Se você não gosta das opiniões de alguém, as contraponha, questione e se for o caso, mude de canal. Posso não gostar do que você fala ou escreve, mas sempre vou defender seu direito de emitir uma opinião. Até mesmo as asneiras ditas no Big Brother Brasil são válidas, não podem ser proibidas. Quem não quer ver, que mude de canal. Acho que vou parar por aqui, daqui a pouco vão dizer que sou fascista também.

Vale a pena conferir

A cervejaria OutBeer inaugurou uma nova cozinha, com uma diversidade incrível no cardápio, incluindo frutos do mar e até joelho de porco. Além disso, a outBeer oferece ainda a seus clientes mais de 120 rótulos de 15 países diferentes.

Sobre a Copa

O jornalista dinamarquês Mikkel Jensen, que sonhava há dois anos e meio a oportunidade de cobrir a Copa do Mundo no Brasil desistiu e denunciou que “muitas crianças em situação de rua estão desaparecendo para dar aos turistas uma imagem mais “limpa” das cidades-sede”. Disse ainda que “durante cinco meses fiquei documentando as consequências da Copa. Existem várias: remoções, forças armadas e PMs nas comunidades, corrupção, projetos sociais fechando”. Interessante que essa ótica é apenas dos gringos, a companheirada não sabe nada, inocente.

Protestos

Desabrigados pela enchente do Madeira realizaram protesto nesta terça-feira em frente ao Centro Político Administrativo (CPA) do governo. Eles queriam (e ficaram querendo) falar com o governador, que não os atendeu. Os protestos foram contra a remoção das famílias das escolas (colocadas lá pelo governo) para o Parque dos Tanques, em um acampamento improvisado que, segundo laudo do CREA, é “insalubre”.

Assumiu

Em entrevista a uma rádio de Jaru durante o fim de semana o governador Confúcio Moura confirmou ter sido o autor da ordem para cancelar o contrato de vigilância da empresa Rocha com a Secretaria de Educação, que resultou na demissão de 2.800 trabalhadores no fim do ano passado. A declaração foi dada após questionamentos sobre sua “falta de pulso” à frente do governo. “Eu mando sim no meu Governo. Como prova disso, cancelei um contrato milionário, de interesse do meu adversário”, afirmou.

Desde que

Cancelou o contrato, dezenas de escolas foram depredadas, incendiadas e furtadas. Calmamente o governo declarou que “pode repor o que foi perdido”. Gastar dinheiro alheio é bom, queria ver se começassem a descontar em salário de gestor o que é perdido por descaso, o que iria acontecer. Certamente o discurso mudaria.

Falando em escolas

Com o advento das enchentes e a “idéia genial” de colocar os desabrigados em escolas da rede pública, o ano letivo foi para o espaço e professores e a molecada vão passar o fim de ano e janeiro na sala de aula. Coisas do governo da enganação…

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Para fazer parte de nossos grupos no whatsapp envie um whats para 9248-8911 com a seguinte informação: nome+sobrenome+NOTÍCIAS (apenas para receber informações); Caso queira participar de debates e interagir com os demais membros envie nome+sobrenome+DEBATES; Não incluímos ninguém por indicação, a própria pessoa deve enviar o pedido. Notícias são enviadas até às 22 horas, a partir desse horário só se for algo de grande relevância. Também estamos com grupos no aplicativo Telegram. Para mais informações clique AQUI.

Cólicas menstruais deixam você mais burra?

Desconforto, náuseas, dores e… burrice. Pesquisadores da Universidade de Bath, no Reino Unido, descobriram que mulheres com cólicas menstruais têm pior performance em tarefas com computador. Isto porque as dores reduzem o nível de atenção. Os pesquisadores pediram que 52 mulheres adultas com cólicas menstruais completassem testes de atenção, que mediam suas capacidades de escolher entre tarefas concorrentes, de concentração e de mudar o foco de atenção entre duas tarefas. – Quanto mais entendermos sobre como as pessoas experimentam a dor, melhores serão os mecanismos para ajudá-las a lidar com isso – disse o professor do Departamento de Psicologia Ed Keogh, principal autor do estudo. As cólicas menstruais afetam mais de 40% das mulheres no mundo, sendo que 15% relatam graves sintomas.

 

Comentários
Carregando