Coluna – E o Brasil inteiro está de olho em Acir Gurgacz…

Senador rondoniense que fez campanha para Lula, Lula, Dilma e Dilma Roussef em 2014 é o relator das “pedaladas fiscais” e jura que vai ser “imparcial”

Explicou, mas não convenceu

Acir Gurgacz vai relatar as “pedaladas fiscais” de Dilma no Senado. Quando ele foi nomeado relator, veio á tona seu processo no Supremo Tribunal Federal, por crime de estelionato. Sua empresa meio que deu uma “pedalada” em um empréstimo do BASA. O caso tramita em segredo de justiça, Gurgacz diz em nota que “assinou o empréstimo como avalista, e não como administrador, nem como requerente” e que  “a ação do STF não é “diretamente” contra ele, mas contra a empresa Eucatur, da qual ele tem participação de apenas 0,5%”.

Mas esse não é o problema

A grande questão é que Acir é Dilma. Ele fez campanha para Lula, depois fez de novo. Fez campanha para Dilma e repetiu em 2014. Nas últimas eleições ele chegou a se indispor com aliados e até com eleitores por causa de Dilma. Tinha gente que falava, “no senhor eu voto, mas não na sua candidata”. Mesmo assim ele fazia longos discursos enaltecendo sua candidata. Acir deve ter votado em Dilma. Ele acredita nela. Pode até discordar do atual pacote econômico do governo, mas isso é um mero detalhe. Quanto a sua “isenção” em relação as pedaladas fiscais, isso só o tempo irá nos mostrar. Honestamente, gostaria muito que ele entrasse para a história como um grande político e não como um ideologista crédulo.

Acelerado

O vice-governador Daniel Pereira vem trabalhando pesado para entrar no Tribunal de Contas do Estado, se tudo der certo, ainda este ano. Um dos que vem fazendo esse “meio de campo”, mas de forma discreta é o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho. O interesse de Maurão é “limpar o terreno”. Se ele acomodar Pereira no TCE, fica em primeiro na linha sucessória de Confúcio. A partir disso, ele pode fechar um acordo com o governador que deixaria o cargo para disputar uma vaga ao Senado ou a Câmara, com apoio de Maurão, é claro.

Evidente

Que muita coisa pode acontecer no meio desse caminho, ou mesmo nada. No papel e na cabeça, dá tudo certo, mas sempre tem as variantes que atrapalham. De qualquer forma, 2018 ainda está longe…vamos aguardar.

Contra o populismo

Ela vem sendo chamada de “a nova roupa da direita” e assumiu esse papel. Trata-se de Glória Alvarez, uma guatemalteca jovem que vem ganhando espaço como ativista política se colocando contra a onda populista que assolou a América Latina nas últimas duas décadas e vem fazendo estrago por onde passa. Em um discurso realizado na Espanha (mais abaixo, e vale muito a pena assistir), ela explica a essência do populismo e porque devemos recriar um novo modelo político.

Para entender

O populismo é esse modelo atual, implantado por Lula, de “falar o que o povo quer ouvir”. É a síntese do “pão e circo” e deu certo. Lula foi eleito e reeleito e ainda elegeu Dilma e ela se reelegeu dessa forma, falando o que o povo queria ouvir. A diferença é que sobrou para Dilma pagar a conta e o sistema está desmoronando. As pedaladas fiscais comprovam isso. Não que o modelo neoliberal adotado pelos tucanos na era FHC tenha sido perfeito, longe disso, mas não era populista. Era baseado em uma crescente econômica, mais lenta, porém sólida. O modelo populista é imediatista, como o próprio Lula gostava de repetir, “quem tem fome tem pressa”. Pois é. Mas a pressa é a inimiga da perfeição e o preguiçoso trabalha duas vezes. O resultado é essa merda toda em que estamos atolados agora. E sem perspectiva de sair dela a curto prazo.

Não explicou

O eterno presidente da Federação de Futebol de Rondônia, Heitor Costa, ao depor na CPI do Futebol esta semana não conseguiu explicar ao senador Romário (PSB-RJ) como ele vem conseguindo se reeleger presidente da federação por mais de duas décadas. E sem ter oposição e nem fazer campanha. Costa engasgou, tergiversou, pigarreou mas não explicou. Mas garantiu que “trabalha em alterações no estatuto para acabar com a reeleição”. Pois é…ninguém riu dessa piada.

Falando em piada

O secretário-Chefe da Casa Civil Emerson Castro deve estar querendo entrar para o ramo de comédia standup. A última dele foi dizer, em audiência na Assembléia Legislativa que  “Moisés recebeu de Deus os Dez Mandamentos, mas afirmou que criar uma lei é uma coisa, enquanto cumprir é outra”. A frase foi usada para justificar a falta de efetivo da PM nas ruas de Porto Velho. Pelo que entendi das explicações do secretário, pode fazer lei à vontade, mas elas não precisam ser cumpridas. Mas esperar o que, de quem mandou os rondonienses irem limpar suas casas e fazer “do limão uma limonada” enquanto cozinhavam no calor pela falta de energia provocada pelos apagões em setembro?

Na tora

Os produtores rurais poderiam usar essa fala do secretário e anexa-la às possíveis multas que venham a ter se algum dia a SEDAM voltar a funcionar. Já que não conseguem as licenças, podem sair fazendo “na tora”. Depois é só dizer que “Moisés recebeu de Deus os Dez Mandamentos, mas afirmou que criar uma lei é uma coisa, enquanto cumprir é outra”.

Nada a ver

O governo alega que o atraso no pagamento dos salários esse mês é em função da greve dos bancários. Nada a ver. Quem faz o processamento da folha é o próprio governo. O banco paga independente de greve ou não. Esse setor não entra em greve. A liberação do crédito não é manual. Tem coelho nesse mato.

E os consignados?

Pois é, desde a última coluna está uma correria só. As vendas de Rivotril dispararam de Porto Velho a Brasília. Tem gente grande no rolo. Quando a casa cair, os ratos aparecem.

No improviso

Os agentes penitenciários começaram a executar a chamada “operação padrão”, exigindo o cumprimento de alguns acordos que haviam sido feitos recentemente entre o governo e a categoria. Como resposta, a SEJUS pegou os alunos que iniciaram a academia há menos de dois meses e os mandou para o Urso Branco cobrir o buraco.

Olho gordo no cargo

Laerte Gomes, Aírton Gurgacz, Aélcio de TV, Alex Redano e Cleiton Roque parecem estar disputando o cargo de líder do governo na Assembleia, atualmente ocupado por Luizinho Goebel. Eles não poupam elogios, moções de louvor, rasgação de seda para a administração Confúcio Moura. Esquecem até da inoperância do DER e da SEDAM. Esquecem as estradas esburacadas, das licenças que não são emitidas, fazem vista grossa para a “coordenadoria de operações aéreas” e nem querem saber de qualquer tipo de denúncia que envolva o governo. Sob o olhar desses deputados, Confúcio deveria ser reeleito de novo. Das duas uma, ou querem a vaga de Luizinho ou…

Via O Antagonista

Eduardo Cunha não é só estrábico, ele também é um político míope. Enquanto tenta agora blindar Dilma Rousseff, alegando que ela pode não ter responsabilidade sobre as pedaladas fiscais, o vice-líder do governo Silvio Costa entrou com representação na PGR pedindo o imediato afastamento do peemedebista…Costa alega – e com razão – que Cunha está usando a presidência da Câmara para “retardar” o processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética. “Não é possível que a gente tenha que conviver com uma situação inusitada como essa, onde um presidente que está denunciado com contas na Suíça diz que não renuncia e essa Casa está nesse marasmo”, escreveu na representação. Costa disse que recorreu à PGR na condição de deputado e não de vice-líder. Entendeu, Cunha?

Mais Cunha

A revista Veja teve acesso (e divulgou) toda a documentação que Eduardo Cunha apresentou ao banco suíço quando abriu as contas por lá. Quer ver? CLIQUE AQUI!

Clínica Mais Saúde informa: Excesso de antibióticos faz crianças engordarem

Crianças que usam antibióticos de forma regular ganham peso mais rapidamente do que aquelas que nunca tomaram o medicamento. Além disso, estes efeitos podem permanecer até a idade adulta. É o que diz um grande estudo publicado no periódico científico International Journal of Obesity. Os pesquisadores, liderados por Brian Schwartz, da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, nos Estados Unidos, analisaram registros de saúde de 163.820 crianças, com idade entre 3 e 18 anos, que continham informações sobre o uso de antibióticos, altura e peso. Os resultados mostraram as crianças que haviam ingerido uma quantidade sete vezes maior na infância chegavam aos 15 anos pesando 1,5 quilo a mais do que aquelas que não tomaram antibióticos. Os autores acreditam que esse efeito dos antibióticos no ganho de peso aconteça porque os medicamentos afetam os microbiomas (populações de bactérias) intestinal. Estudos mostram que as bactérias “do bem”, além de ajudar a digerir os alimentos, contribuem para a manutenção da saúde do sistema imunológico e do trato intestinal — e podem afetar o peso corporal. Os antibióticos destroem algumas bactérias. De acordo com autor, os resultados ressaltam a necessidade de prescrever e usar antibióticos somente quando absolutamente necessário.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta