Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Estado quer que você pague à PM um serviço que ela tem obrigação de prestar

0

“Programa Porto Velho Seguro” é a legalização do “bico”, que já é institucionalizado, mas não deveria

Não faz sentido

Um programa chamado “Porto Velho Seguro” que está sendo implantado pela Polícia Militar do Estado e o município de Porto Velho, capital de Rondônia é uma verdadeira aberração, e conta com o apoio irrestrito do comandante-geral da corporação Enedy Dias, que alega “ os membros da corporação terão a oportunidade de garantir algum melhoramento em suas condições econômicas de forma absolutamente legal”.

O mote

Do programa é o seguinte, “a cooperação entre o Estado e o Município, assegurando uma suplementação de renda aos policiais militares, com a chamada “remuneração pelo desempenho de atividade delegada”, ou seja, os PMs poderão fazer bicos no município. E “os policiais atuarão simultaneamente na proteção do patrimônio público e na garantia da segurança pública”. Mas, pera lá, eles já não são pagos para isso? Quer dizer então que eles recebem duas vezes para fazer o mesmo serviço? Então não precisamos mais da Polícia Militar, pode demitir todo mundo e deixar que cada município, estabelecimento ou empresa estabeleça suas prioridades e contrate apenas o efetivo que precisar.

A justificativa

Desse programa, que é descabido, é que “com a implementação desse projeto, nossa capital certamente se tornará uma das mais seguras do país” Quer dizer então que a capital de Rondônia vive o clima de insegurança há anos porque os policiais ganham mal? Realmente, não faz sentido. Não sei quem é o autor desse projeto, nem como isso passou pela CCJ da Assembléia Legislativa ou mesmo em plenário, pior ainda é dizer que “a implantação do programa Porto Velho Seguro atende simultaneamente os anseios da instituição, da categoria policial militar e da sociedade em geral”. Eu faço parte da “sociedade em geral” e discordo, não atende meus ‘anseios’. Atenderia se a Polícia Militar pagasse melhor os policiais e eles não tivessem que, em seus horários de folga, fazer bico para cobrir a falta de efetivo ou as deficiências da corporação.

Nada contra

Qualquer tipo de melhoria salarial aos policiais militares, muito pelo contrário, acho que PM deveria ganhar salário equiparado ao de magistrado, dadas as condições de risco e stress a que são submetidos, mas esse tipo de programa é apenas uma cortina de fumaça que permite ao Estado se eximir de melhorar as condições dos policiais. Atuar na proteção do patrimônio público e na garantia da segurança pública é uma obrigação da Polícia Militar do Estado de Rondônia, e não uma justificativa para “um plus” salarial. Tem coisas que não fazem o menor sentido, e essa é uma delas.

Entenda

O contribuinte, ou seja, você leitor, está pagando duas vezes por um serviço que cabe ao Estado fornecer. Que “é legal”, não tenho dúvidas, mas está longe de ser “um anseio da sociedade em geral”. Recentemente a Polícia Federal deflagrou uma operação em Rondônia e prendeu gente envolvida com “serviço de vigilância patrimonial irregular”. O tal ‘Porto Velho Seguro” apenas legaliza o que alguns policiais militares já fazem há anos, que é a segurança de estabelecimentos em seus horários de folga. E não, não sou eu quem está afirmando isso, é a Polícia Federal no relatório da operação.

Bom destacar

Que as investigações da Polícia Federal continuam, e mesmo que o tal “Porto Velho Seguro” dê ares de legalidade ao “bico”, tem muita gente graúda da Polícia Militar, alguns inclusive da reserva, que estão sendo investigados por terem ligações com empresas de vigilância. Essa história está longe de acabar.

Carta fora

Mariana Carvalho não vai ser a candidata do PSDB a prefeitura de Porto Velho. O empresário Hildon Chaves, ex-promotor de Justiça, já deu início a uma série de procedimentos de ordem pessoal para entrar na briga representando os tucanos. Mariana anda sonhando alto, falando até em “compor a Mesa da Câmara dos Deputados”. Tá certa ela, tem que ter foco mesmo.

Define

Mesmo dia 23, quando os tucanos realizam, no prédio da Unopar em Porto Velho, a convenção partidária.

Enquanto isso

Léo Moraes (PTB) se reúne com lideranças de diferentes partidos para falar sobre alianças para as eleições. Quem também corre para consolidar a candidatura é o ex-secretário de Saúde do Estado, Williames Pimentel pelo PMDB e claro, o atual prefeito Mauro Nazif, que está calado, mas se mexendo.

Em Brasília

Acontece nesta quarta-feira a eleição para presidente da Câmara dos Deputados. Já protocolaram registro 13 candidados, Beto Mansur (PRB-SP); Carlos Gaguim (PTN-TO); Carlos Manato (SD-ES); Cristiane Brasil (PTB-RJ); Esperidião Amin (PP-SC); Evair Vieira de Melo (PV-ES); Fábio Ramalho (PMDB-MG); Fausto Pinato (PP-SP); Fernando Giacobo (PR-PR); Luiza Erundina (PSOL-SP); Marcelo Castro (PMDB-PI); Rodrigo Maia (DEM-RJ); Rogério Rosso (PSD-DF). O último é o favorito. Até o meio-dia de quarta-feira podem ser protocolados novos nomes.

Clínica Mais Saúde informa – Pais estão dando comida demais as crianças pequenas

Os pais estão alimentando os filhos em excesso e isso pode aumentar o risco de obesidade. É o que sugere uma pesquisa britânica encomendada pelo Fórum da Infância e da Criança (ITF, na sigla em inglês), instituição especializada em nutrição e desenvolvimento na infância. De acordo com o levantamento, 79% das crianças com idade entre 1 e 4 anos recebem porções maiores do que o recomendado para sua idade. Apesar dos resultados, 73% dos pais disseram estar preocupados que seus filhos não comam o suficiente e apenas 25% disseram estar “muito confiantes” sobre a quantidade de comida que davam para seus filhos. Outro dado preocupante: enquanto 36% dos pais admitiram usar comida ou bebida como uma forma de acalmar as crianças , apenas 25% estavam preocupados que seus filhos se tornassem obesos no futuro.

Comentários
Carregando