Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Expedito e Cassol também disputam na proporcional

0

Impugnações

O Ministério Público Eleitoral (MPE) divulgou nesta quarta-feira um listão com 22 candidatos que estão com problemas nos registros de candidaturas, entre eles o pai e primeiro suplente do senador Acir Gurgacz, o empresário Assis Gurgacz, que segundo o MPE “está condenado pelo Tribunal de Justiça de Rondônia e teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União”. Candidatos com condenação pelo Tribunal de Contas do Estado também tiveram pedidos de impugnação feitos pelo MPE, são eles, Amado Rahhal, Dinho Souza, Cletho Muniz Brito e Antenor da Sithathi. Condenados pelo Tribunal de Justiça estão Moreira Mendes, Lindomar Garçon, Joarez Jardim e Vera Paixão. Pelo TRE estão na lista, Expedito Júnior, Garçon, Joarez Jardim e Edvilson Negreiros. Vale lembrar que a lista é de pedido de impugnação. O pleno do Tribunal Regional Eleitoral ainda vai analisar cada caso.

Também na lista

Roberto Sobrinho que apresentou “irregularidades na documentação”, além de Laerte Gomes, com o mesmo problema e Ana da 8, que deixou de apresentar uma certidão da Assembleia Legislativa.

Aviso

“E no balanço das horas tudo pode mudar”…

Na briga

Dois pesos pesados da política rondoniense estão em campo em uma das maiores e mais complicadas eleições dos últimos anos, trata-se de Ivo Cassol e Expedito Júnior. Ambos prepararam seus grupos para o embate e fazem as contas dos votos de seus candidatos. Cassol entrou mais pesado, resolveu apostar em sua irmã na disputa ao governo e sua esposa, na concorrência pela vaga ao senado. Além disso, o grupo de Cassol lançou 22 candidatos a deputado federal (eram 23, mas Odacir Soares renunciou a candidatura). Já Expedito saiu com 25 candidatos (dois estão indefinidos, que são do Solidariedade – Expedito Netto e Assis da Força).

Freio

Mas tanto Ivo quanto Expedito estão cautelosos em relação a colocar o “bloco na rua”. O italiano observa a movimentação de sua irmã, que divide colégio eleitoral com Júnior e Expedito aguarda uma definição em relação a candidatura de seu senador, Moreira Mendes que vem tentando reverter uma condenação no Superior Tribunal de Justiça. De outro lado, Ivo bate cabeça com a possível impugnação de Carlos Magno, vice de sua irmã. Cassol também pode perder o segundo suplente de sua esposa, Jânio Silva, que segundo o Ministério Público Eleitoral “não se desincompatibilizou de função pública”.

Confusão

E o Ministério Público Eleitoral também apontou uma série de falhas em algumas coligações, como a ausência de assinaturas, atas sem registro, sem lista de presença e a não observância de percentual mínimo de 30% para cada sexo (os partidos precisam lançar o mínimo de 30% e o máximo de 70% de candidatos de cada sexo). Claro que eles tem prazo para resolver, mas a confusão demonstra que o jogo está bruto.

Largando

E alguns candidatos já estão com suas campanhas nas ruas. Carros adesivados já podem ser vistos em diversas cidades e principalmente na capital, que concentra o maior eleitorado do Estado. Ao mesmo tempo, Porto Velho é o terror dos candidatos, já que por aqui existe muita divisão e centenas de falsas lideranças vendendo apoios. É tanta gente, que se for somar os votos prometidos, o colégio eleitoral dobra. Tem “liderança” cobrando atá R$ 50 mil para “ajudar” nas campanhas. Aos incautos, um alerta, cuidado. Que o diga o ex-prefeito Carlinhos Camurça, que foi candidato a deputado estadual em 2010 e considerava-se eleito, confiando nas tais “lideranças”. Camurça teve 6.016 votos, e contava com 20 mil.

Em Rolim

O PTN requereu ao Ministério Público do Estado de Rondônia, o cumprimento da sentença que determinou a perda da função pública e suspensão dos direitos políticos de Jairo Primo Benetti, atual presidente da Câmara de Vereadores de Rolim de Moura. A legenda alega que já se passaram dois meses desde que a sentença foi proferida, e até hoje a Câmara de Vereadores não cumpriu a determinação, nem deu posse ao suplente.

Em Porto Velho

O Tribunal de Justiça acatou recurso do Ministério Público e condenou o ex-deputado estadual Valter Araújo à pena de dois anos e oito meses de reclusão e 26 dias-multa. O irmão do ex-deputado, Wanderley Araújo Gonçalves, foi condenado a dois anos meses e quatro meses de reclusão e 23 dias-multa. Ambas as condenações são para o regime aberto e podem ser substituídas por duas penas restritivas de direitos, consistentes na prestação de serviços à comunidade, pelo mesmo período, e prestação pecuniária no valor de 20 salários mínimos.

Também na capital

Wagner Strogulski, acusado de participar do estupro e assassinato da jovem Naiara Carine em janeiro do ano passado, e estava foragido, teve o pedido de prisão revogado pela justiça estadual. A magistrada Euma Mendonça Tourinho, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Porto Velho, alegou na sentença, ““A persistir o decreto de prisão do postulante possivelmente não será interrogado eis que a polícia nacional (incluída todas as suas especializações) não conseguiu localizá-lo. Diante de tal situação entendo importante, por ora, suspender a execução do mandado a fim de viabilizar o interrogatório do referido réu, especialmente porque a família da vítima, como notoriamente se veiculou, não mais reside na presente comarca”, afirmou.

Em São Paulo

O músico rondoniense Marcelo Johnson é o novo integrante da equipe de MC Guiné, um dos maiores expoentes do chamado “funk ostentação” no país. Marcelinho também tem carreira solo como músico e guitarrista. Para conferir o trabalho dele e o perfil, vai aqui – https://www.facebook.com/marcelo.johnson.7?fref=ts

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Para fazer parte de nossos grupos no whatsapp envie um whats para 9248-8911 com a seguinte informação: nome+sobrenome+NOTÍCIAS (apenas para receber informações); Caso queira participar de debates e interagir com os demais membros envie nome+sobrenome+DEBATES; Não incluímos ninguém por indicação, a própria pessoa deve enviar o pedido. Notícias são enviadas até às 22 horas, a partir desse horário só se for algo de grande relevância. Também estamos com grupos no aplicativo Telegram. Para mais informações acessehttp://painelpolitico.com/grupos-de-noticias.

 

Palavras-cruzadas e quebra-cabeças podem protelar e até prevenir Alzheimer

 

Mais uma boa notícia para a luta contra o Alzheimer. Estudo apresentado na Conferência Internacional da Associação de Alzheimer em Copenhague revelou que fazer jogos de memória como cartas e quebra-cabeças regularmente pode retardar e até inibir os sintomas da doença, em alguns casos. De acordo com cientistas americanos do Instituto do Alzheimer de Wisconsin, autores do estudo, isso ocorre porque pessoas que passam mais tempo em atividades estimulantes para o cérebro também são as mais propensas a terem um melhor desempenho em testes de processamento de aprendizagem, memória e informação. Eles examinaram 329 pessoas com idade média de 60 anos consideradas saudáveis, mas em maior risco de desenvolver a doença por conta da origem genética ou do histórico familiar. Todos os participantes foram submetidos a uma bateria de testes, que incluiu o mapeamento do cérebro e avaliações cognitivas. Eles foram questionados com que frequência praticavam de atividades como leitura de livros, ir a museus, jogar cartas ou fazer quebra-cabeças. Após cruzar os resultados, os pesquisadores puderam constatar que as pessoas que relataram jogar cartas, damas, palavras-cruzadas ou quebra-cabeças apresentavam um maior volume de atividade cerebral nas regiões do órgão diretamente envolvidas na doença de Alzheimer. Além disso, esse grupo teve pontuação mais alta em testes cognitivos. Para alguns dos participantes, tais jogos puderam ajudar até a prevenir a doença. Os cientistas, no entanto, são cautelosos quanto a esse último resultado. Em entrevista ao jornal The Guardian, a médica Laura Phipps, responsável pela comunicação do estudo, afirmou que a pesquisa serve mais para entender como a doença ataca a memória do que criar um modo de prevenção.

 

Comentários
Carregando