Coluna – Garçon e Marinha dizem que vão votar pelo impeachment

Gurgacz deve seguir orientação de seu partido e Luiz Cláudio “vai votar com a consciência”

Deu ruim

Na solenidade de posse do ex-padre Mariton Holanda como novo delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário em Rondônia, o discurso foi um só, críticas ao congresso que “quer dar um golpe em Dilma” e contra o governador Confúcio Moura, que “não aplicou nenhuma das políticas agrárias do governo federal em Rondônia”. Estavam presentes três assessores do primeiro escalão do governo Confúcio, a secretária de Ação Social Valdenice Domingos, o secretário-adjunto da Sedam Francisco Sales e José de Arimatéria, vice-presidente da Emater e nenhum se manifestou para defender o governador.

E parece

Que tinha algum “língua preta” no local, porque logo cedo, na manhã desta quarta-feira, Confúcio foi a Secretaria de Ação Social (SEAS) e quando chegou não encontrou ninguém. Estava mal-humorado a chegada da secretária, uns 20 minutos depois, não melhorou seu ânimo não. Sinal que alguém andou “queimando” a turma…

Pressão total

O deputado federal Lindomar Garçon enviou nota explicando que vai votar a favor do impeachment, na sessão de domingo da Câmara dos Deputados. Mas contra a vontade. O parlamentar era contra, mas seu partido, o PRB fechou em bloco e já garantiu os 22 votos. A deputada federal Marinha Raupp (PMDB) afirmou em seu perfil no Facebook que vota pelo impeachment, mas tem muita gente que não acredita nessa promessa. Já o deputado federal Luiz Cláudio…

Resposta

Após muita pressão e a revelação que estaria negociando cargos no governo Dilma para votar contra o impeachment, enviou nota na noite de terça-feira onde disse muito e não falou nada. O deputado afirmou, em síntese, que “vai votar com sua consciência”, mas não disso como.

Já o senador Acir Gurgacz

Que nas últimas semanas mudou de idéia pelo menos duas vezes, vai mesmo votar contra o impeachment e a favor de Dilma Roussef. Seu partido, o PDT fechou em bloco o apoio à presidente na Câmara e no Senado, então certamente terão novos buzinaços na frente da casa de Gurgacz em Ji-Paraná. O termo usado para justificar o apoio à Dilma, pelo líder da legenda na Câmara, deputado Weverton Rocha (MA) foi que “não é agora que vamos sair do barco como se fôssemos ratos”. Acho que eles vão afundar…

No domingo

Um grupo estará transmitindo a votação do impeachment em Porto Velho, possivelmente na Praça das Caixas D´água ou no Espaço Alternativo (ou nos dois), com telão e sonorização. Em Ouro Preto do Oeste também já existe um grupo organizado para fazer o mesmo. Deputados estarão recebendo mensagens para votar a favor do impeachment. Pelas contas da oposição, o processo é irreversível.

Próximos passos após domingo

O provável cronograma dos trabalhos envolve o recebimento do pedido e do relatório da Câmara, pelo Senado, na segunda-feira (18). A comissão especial do Senado que analisará o caso pode ser instalada em 28 de abril. Estima-se que o relatório da comissão de senadores seja apresentado em 9 de maio e votado em 11 de maio. A votação deve ocorrer em 12 de maio, ou seja, daqui um mês. Se o Senado aprovar, por maioria simples, a abertura do processo de impeachment, Dilma será automaticamente afastada do cargo por até 180 dias. Se, ao final dos debates, os senadores decidirem que o pedido é improcedente, a presidente poderá reassumir o cargo. Se, porém, dois terços dos senadores apoiarem o impeachment, Dilma perderá o mandato e os direitos políticos por oito anos – e, provavelmente, nunca mais voltará a pisar no Palácio do Planalto como presidente da República.

Dilma no entanto

Está confiante e em conversa com jornalistas afirmou que não acredita na aprovação do pedido de afastamento pela Câmara no domingo e que vai “lutar até o último minuto do último tempo”.

The Prime

E o Grupo Guareschi entregou na noite da última terça-feira o empreendimento The Prime Residence, edifício de 11 andares ao lado do Tribunal de Contas do Estado. O imóvel, de alto padrão, já está com praticamente todas as unidades vendidas e reforça a credibilidade do grupo que conseguiu cumprir com todos os compromissos. Em uma cidade onde construções inacabadas integram a paisagem, é raro esse grau de comprometimento. Existem empreendimentos que estão inacabados há anos, sem nenhuma expectativa de retomada, uma total falta de respeito com os consumidores.

Festejando

Não foi o caso dos empreendimentos da holding Guareschi. O The Prime é o sexto concluído em Porto Velho. Eles foram responsáveis pela construção dos edifícios Salvador Dalí, Leonardo da Vinci, Reserva do Bosque, parte do Bairro Novo, Ecoville e o hotel Slaviero (antigo Holliday Inn), além do Ecoville de Ji-Paraná. O Grupo também foi o primeiro a conseguir reunir todas as exigências da justiça para garantir a recuperação judicial na quitação de suas dívidas, uma forma de blindar o patrimônio de todos os investidores que adquiriram imóveis do Grupo. Mesmo na crise, eles estão conseguindo superar as dificuldades graças a credibilidade que construíram no mercado.

Persistência

Quem anda por aqui há um tempinho vai lembrar do ex-assessor do então secretário de Defesa Marcelo Bessa, Marcus Rezende. Ele deixou o governo pouco antes de Bessa, e chegou a apresentar um programa de televisão que falava sobre direito de consumidores. Pois bem, Rezende passou em um concurso e foi ser delegado de polícia no Amazonas, lotado em Humaitá. Como ele sempre teve uma queda pela política (chegou a ensaiar uma candidatura a deputado estadual), anunciou que é pré-candidato a prefeito da cidade amazonense.

Clínica Mais Saúde informa – Pessoas ricas vivem por mais tempo

Dinheiro pode não comprar felicidade, mas ele pode ajudar a garantir mais tempo de vida. É o que sugere um estudo publicado recentemente na revista científica JAMA. De acordo com os resultados, a população com maior renda vive, em média, 15 anos mais em comparação com aqueles com menor renda. As informações são da revista americana Time. O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, comparou as declarações fiscais de cada americano, entre 1999 e 2014, com a expectativa de vida. Os resultados mostraram que pessoas com maior renda realmente tendem a viver mais. Por outro lado, os dados também mostraram diferenças interessantes na expectativa de vida entre aqueles com rendimentos mais baixos dependendo do lugar onde viviam. Por exemplo, as pessoas de baixa renda que vivem em grandes cidades como Nova York e São Francisco têm maior expectativa de vida do que aquelas que moram em lugares menores, como Detroit ou Tulsa. Essa descoberta contradiz estudos anteriores que haviam mostrado que pessoas em grandes centros urbanos tendem a ter vidas mais curtas em comparação com aquelas que vivem em áreas suburbanas e rurais.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta