fbpx
Coluna – Grupos se movimentam para exigir que vereadores da capital baixem seus salários

Anúncio de “recomposição salarial” por parte de presidente da Câmara vem deixando população revoltada

Sabotagem

O juiz Sérgio Moro acredita que o vazamento da planilha da Odebrecht, contendo mais de 200 nomes de políticos, muitos com foro privilegiado, foi uma forma de sabotar a operação Lava-Jato. Tão logo teve conhecimento do fato, o juiz determinou o sigilo e ordenou que a Polícia Federal apurasse responsabilidades sobre o vazamento. É a velha mania do PT em arrastar para a lama todos que estão à sua volta. Há tempos que o discurso dos petistas é, “mas eles fazem também e ninguém fala nada”.

“Recomposição salarial”

O presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho, Jurandir Bengala (PR) vem declarando que os vereadores ‘não receberam aumento’ e sim uma ‘recomposição salarial’ em função de uma ação de 2014, uma diferença de 6,41% que, somado ao salário que atualmente é de R$ 12.795,80, representará um contra-cheque de R$ 14.763,78. Essa ‘diferença’ é retroativa a 18 meses. Bengala alega ainda que tudo é legal, inclusive com o aval do Tribunal de Contas.

Pois bem

Pode até ser legal, mas é extremamente imoral e o Ministério Público deveria intervir nesse absurdo. Vereador ganha salário altíssimo em Porto Velho, quase de um executivo de primeiro escalão e o retorno é zero. Nos grupos de Whatsapp diversas pessoas questionaram e começam a surgir movimentos para discutir uma redução urgente nos salários dos edis. Para um vereador, salário de R$ 5 mil estaria de bom tamanho, até porque todas as demais despesas já são pagas pela Câmara. Vereador não é profissão, é uma representação política passageira. Todos os 21 que estão ali naquela Casa já possuem profissões e são estabelecidos em suas áreas, e se não são, está na hora de arrumar emprego de verdade.

Em diversas cidades

Estão sendo organizados movimentos populares pedindo a redução salarial dos vereadores. E em vários municípios isso foi feito. Algumas cidades de Rondônia mal conseguem pagar as contas, como Rolim de Moura, por exemplo, mas pergunta se algum vereador propôs a redução de seus vencimentos? Aqui em Porto Velho a Câmara virou uma extensão da prefeitura. Acabou a oposição, lá todos são coniventes com uma série de problemas que afetam a vida dos portovelhenses.

Interessante

É observar que os representantes de categorias de servidores públicos, como Ellis Regina e Márcio Pacele, e os “companheiros” Sid Orleans e Fatinha se fazem de gato morto em relação a esse assunto. Enquanto isso, os professores da rede municipal continuam de braços cruzados e os alunos sem aula.

Listão

A planilha da Odebrecht contendo nomes e apelidos de políticos, ao lado de valores, causou uma confusão daquelas em Brasília. O grande problema da divulgação da lista é que tirou o elemento surpresa, e agora todo mundo que tem foro vai correr com ações, sumir com documentos, enfim, perde-se o objeto. A cúpula da Lava-Jato acredita que o vazamento pode ter sido feito por gente ligada ao governo, com claro interesse de atrapalhar as investigações.

Entre os nomes

Que aparecem nas planilhas da Odebrecht está o da ex-senadora Fátima Cleide (PT-RO), cujo nome aparece escrito em caneta vermelha com a anotação de R$ 500 mil. Em outra planilha, surge “candidato de Porto Velho”, sem especificar nome ou data, apenas com o valor de R$ 100 mil. Vale lembrar que as citações não querem dizer exatamente que a pessoa recebeu esses valores, tampouco se eles foram ou não declarados. No caso de Fátima, esse valor não aparece nas doações das campanhas de 2010, 2012 nem 2014.

Tem que apurar

Como disse na última coluna, a situação no Brasil é complexa e delicada. A grande maioria dos políticos brasileiros recebeu dinheiro de propina para suas campanhas. Não, não foi ‘doação’, foi pagamento de propina mesmo. Empresa alguma dá dinheiro para político se não estiver levando algo em troca. No caso da Odebrecht ela ganhava contratos públicos milionários e em contrapartida financiava campanhas eleitorais. O problema é que ela não pagava com seu lucro, e sim com o que é chamado no jargão das construtoras de “gordura’ dos contratos, que eram calculados já com o percentual a ser repassado em propina.

Funciona assim

Determinada obra custa R$ 50 milhões para ser executada. Preço real, tabelado já incluso lucro de cerca de 7 a 10%. Porém, a empresa vence a licitação com ‘menor preço’ no valor de R$ 85 milhões, os R$ 35 que ‘sobram’ são para pagamento de propinas e outras ‘taxas’, como os pixulecos de licenciamentos, os pixulecos de liberação dos pagamentos das medições, etc. Qualquer empreiteiro que já tenha feito uma obra pública sabe disso.

Portanto

Independente da cor partidária, esse momento é único e o PT, já que está tão disposto a se manter no poder, deveria aproveitar e prestar um grande serviço a esse país, convocando uma nova Constituinte e novas eleições presidenciais, e claro, mandando para a cadeia qualquer um que esteja envolvido em corrupção. Do contrário, teremos mais do mesmo por muitos anos.

Acordão

O que está se desenhando, após a divulgação das planilhas da Odebrecht, é um grande acordo entre todos os citados para evitar a prisão deles. Por lá estão Aécio, Michel Temer, Renan Calheiros, José Sarney e toda a corja pluripartidária desse país. O Ministério Público Federal divulgou nota no final da tarde alegando que não fechou acordo de delação com Odebrecht, só falta agora soltarem o presidente da empresa e sentarem sobre o processo de Lula. Sérgio Moro começou com os vazamentos seletivos, agora ele tem que aguentar o rojão e partir para o tudo ou nada, do contrário vai ficar parecendo que os petistas tem razão ao chama-lo de ‘tucano’. O próximo movimento do jogo é dele, vamos ver a reação.

O vazamento

Deixou Dilma, PT e Eduardo Cunha em estado de êxtase. Conseguiram colocar todos no mesmo balaio.

Clínica Mais Saúde informa – Ninar é diferente de chacoalhar o bebê; entenda os riscos

Uma notícia publicada pelo jornal chinês “People’s Daily” de que uma menina de sete meses morreu enquanto era ninada colocou os pais em alerta. Segundo a publicação, o pai segurava a filha no colo em uma cadeira de balanço quando ela começou a espumar pela boca. Ela foi declarada morta ao chegar no hospital e diagnosticada como vítima da síndrome do bebê sacudido, quando a criança sofre lesões cerebrais por ser balançada com força. No entanto, segundo os pediatras, um simples ninar não é capaz de causar esse tipo de dano neurológico. A síndrome do bebê sacudido acontece em casos de movimentações bruscas. Segundo Silvana Frizzo, neuropediatra do hospital infantil Sabará, em São Paulo, às vezes, os adultos, desesperados com o choro da criança, acabam balançando-a com força pelos braços, em um movimento para frente e para trás, sem apoio da cabeça. Ainda que não existam dados da incidência da síndrome no Brasil, ela é a segunda causa de morte em crianças nos Estados Unidos. Como o volume cerebral do bebê é desproporcional ao corpo, o órgão fica “solto” dentro da caixa craniana. O movimento, de fato, faz com que ela pare de chorar, no entanto, os sintomas da síndrome começam a aparecer. Outra medida para evitar a síndrome, é evitar brincadeiras bruscas com os filhos. “Jogar a criança para cima ou para um outro tio de brincadeira pode gerar uma descompensação cerebral. Todo movimento brusco com a cabeça da criança pequena deve ser evitado”, alertam especialistas.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta