Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Investigações do “dossiê China” avançam e devem ocorrer prisões

0

Descaso

No mundo inteiro os monumentos históricos são preservados, gastam-se milhões em restaurações de peças, em determinados locais sequer é permitido fotografar para que a luz do flash não estrague as relíquias e em todos existe o máximo de cuidado, carinho e orgulho. Aqui em Rondônia fizemos parte de uma importante parte da história do Brasil, mas não estamos “nem aí” para isso. Há anos que a imprensa vem denunciando o descaso com nossa história e a classe política e empresarial também não está “nem aí”.

Perdas

Devido a essa irresponsabilidade do poder público, perdemos praticamente todo nosso acervo. Na década de 80 as famílias faziam passeios de trem entre a Praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré até a cachoeira do Santo Antônio. Para quem não sabe, ou não se deu ao trabalho de fazer uma pesquisa, como grande parte de nossa classe política, a Estrada de Ferro Madeira Mamoré Foi a primeira grande obra de engenharia civil estadunidense fora dos EUA após o início das obras então ainda em progresso no Canal do Panamá. Com base naquela experiência, para amenizar as doenças tropicais que atingiram parte dos mais de 20 mil trabalhadores de 50 diferentes nacionalidades, Farquhar contratou o sanitarista brasileiro Oswaldo Cruz, que visitou o canteiro de obras e saneou a região (desde então não se fez mais nada nessa área).

Segunda Guerra

A EFMM garantiu para o Brasil a posse da fronteira com a Bolívia e permitiu a colonização de vastas extensões do território amazônico, a partir da cidade de Porto Velho, fundada em 4 de julho de 1907. Durante a 2ª Guerra Mundial, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré voltou a ter grande valor estratégico para o Brasil, operando plenamente para suprir o transporte de borracha, utilizada no esforço de guerra aliado. Em 1957, quando ainda registrava um intenso tráfego de passageiros e cargas, a ferrovia integrava as dezoito empresas constituintes da Rede Ferroviária Federal.

Pois bem

Quem se der ao trabalho de ir até a Praça da Estrada de Ferro vai ficar deprimido com as imagens que vai ver. Locomotivas embaixo d’água, que mesmo sem enchentes já sofrem com o descaso. As peças que faziam parte do museu (que vive fechado) estão guardadas, mas muitas foram perdidas graças a desastrosa gestão do IPHAN e do ex-prefeito Roberto Sobrinho. Resta saber se, quando as águas baixarem, o que vai virar nosso moribundo acervo. É lamentável que uma parte tão importante de nossa história tenha virado sucata nas mãos irresponsáveis de nossa classe política. Mais lamentável ainda é que as próximas gerações só terão acesso a nossa história a partir de fotos e relatos. O que acontece em Rondônia é criminoso e lamentavelmente ninguém é punido por isso. Só a população.

Relembrando

Em 2011 PAINEL POLÍTICO revelou um complexo golpe que foi aplicado em Rondônia por uma holding chinesa chamada Sustainable Forest Holdings Limited, ou Susfor. Essa empresa teria ganho o contrato para extração de madeira das áreas que seriam alagadas pelas usinas e de posse dessa garantia arrecadou milhões de dólares na bolsa de valores de Hong Kong. A SUSFOR nunca tirou um palito de dentes sequer dessas áreas e gerou um problemão para as usinas, que tiveram que dar fim na madeira na última hora. Milhares de toras foram enterradas, para se ter uma idéia.

O rolo

Envolveu ainda alguns deputados estaduais que na época criaram a tal “CPI das Usinas”. O empresário Luiz Carlos Tremonte, que era proprietário da empresa VP Construções, com sede em São Paulo, que foi vendida para a SUSFOR (que ele afirma não ter recebido) e detinha o contrato para retirada de toda a madeira das áreas que foram alagadas pelas usinas. Ele foi o responsável por revelar todo o esquema em 2011 e acusou o então deputado Tiziu Jidalias de ter recebido R$ 1 milhão para “deixar a coisa quieta”. Tiziu negou, Tremonte rebateu e não se falou mais no assunto. Ate agora.

Acontece

Que Tremonte também havia encaminhado denúncia para órgãos como Polícia Federal e Ministério Público que passaram a investigar o esquema. Como “quem procura acha”, eles acharam e estão bem perto de deflagrar uma daquelas operações que prendem gente em diversos estados. A operação também investiga envio de recursos para o exterior (evasão de divisas) e lavagem de dinheiro, inclusive com retorno dessa grana limpinha sendo usada nas eleições de 2010. Como aquela eleição é cheia de meandros (vide as prisões de Beto Baba e Fernando da Gata, que entre outras afirmam terem financiado a campanha de Confúcio Moura), muita água ainda vai rolar. E o pássaro vai cantar.

Programada

Você tem um Mistsubishi e não faz a revisão porque acha caro? Dá uma passada na LF Imports, na BR 364 e confira os preços de revisão programada. Telefona no (69) 3225-0606 e agende uma visita. Levar o carro em outras oficinas é um barato que sai caro, até na hora de trocar seu Mit. Se as revisões são feitas na concessionária, o veículo tem um histórico e valoriza muito mais. E na LF você já sabe quanto vai custar, sem “surpresinhas” na hora de buscar o carro.

Liminar

O prefeito de Candeias do Jamary, Osvaldo Souza, mais conhecido como “Dinho”, que havia sido afastado do cargo na semana passada pela justiça, conseguiu liminar na última segunda-feira e deve retornar ao cargo ainda hoje (terça). O advogado do prefeito, Nelson Canedo, explicou que a punição foi excessiva ao suposto crime, e com base nesse entendimento foi concedida a liminar. Dinho foi acusado de abuso de poder político. O Ministério Público tem cinco dias para recorrer.

Eles sabiam

De acordo com o deputado federal Moreira Mendes, o SEBRAE nacional tinha conhecimento dos esquemas fraudulentos da unidade em Rondônia, desbaratados pela Operação Feudo, realizada pelo Ministério Público do Estado. Moreira disse ainda que convidou os representantes do SEBRAE nacional para darem explicações na Câmara dos Deputados mas não obteve sucesso. Por enquanto, ele foi o único parlamentar federal que se preocupou com o assunto. Não quero ser chato, mas se começarem a olhar com muita atenção os gastos de algumas unidades do SEBRAE, vão descobrir que o que acontecia em Rondônia, se repete em outros estados. Sabe aquele projeto de exibição de filmes em praças públicas, realizado por aqui pela FIERO em paceria com o SEBRAE? Pois é…

Recurso

A Santo Antonio Energia recorreu da decisão da Justiça Federal que responsabilizou as usinas pela cheia do Madeira e impetrou um Agravo de Instrumento (quando se trata de decisão que causa à parte lesão grave e de difícil reparação). Na última sexta-feira, o recurso havia sido distribuído ao relator, desembargador Kassio Nunes Marques. A Santo Antônio Energia (SAE) e Energia Sustentável do Brasil (ESBR), foram condenadas, sob pena de multa diária de R$ 100 mil a prover todas as necessidades básicas (moradia, alimentação, transporte, educação, saúde, etc) das populações atingidas a montante de cada uma das Usinas pela cheia do Rio Madeira às margens dos reservatórios subdimensionados no EIA/RIMA enquanto durar a situação de emergência e até uma decisão definitiva sobre a compensação/indenização/realojamento.

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Para fazer parte de nossos grupos no whatsapp envie um whats para 9248-8911 com a seguinte informação: nome+sobrenome+NOTÍCIAS (apenas para receber informações); Caso queira participar de debates e interagir com os demais membros envie nome+sobrenome+DEBATES; Não incluímos ninguém por indicação, a própria pessoa deve enviar o pedido. Notícias são enviadas até às 22 horas, a partir desse horário só se for algo de grande relevância. Também estamos com grupos no aplicativo Line e Telegram.. Para mais informações clique AQUI.

Games violentos estão relacionados a agressividade de crianças

Um novo estudo americano sugere que games violentos aumentam a agressividade em crianças, independentemente do envolvimento de pais e outros fatores. A pesquisa provoca polêmica, batendo de frente com trabalhos que concluem não existir tal relação. A equipe do pesquisador Douglas A. Gentile, da Universidade do Estado de Iowa, acompanhou crianças e adolescentes de Cingapura por três anos através de entrevistas que mediam os hábitos de jogo, comportamento agressivo, cognição agressiva (como fantasias agressivas, crenças sobre agressão e motivos subsequentes de hostilidade e provocações ambíguas) e compaixão. Os pesquisadores também examinaram os efeitos em relação à idade, sexo e monitoramento parental, entre outros fatores. Entre 3.034 crianças, o hábito de jogar games violentos foi associado ao comportamento agressivo a longo prazo, a despeito do envolvimento dos pais, idade, sexo e agressividade inicial.

 

Comentários
Carregando