Coluna – Jaqueline Cassol, Acir e Maurão devem disputar governo em 2018; Expedito viria ao Senado

Mas o processo eleitoral mais importante da década passa por 2016 e a prefeitura de Porto Velho é fundamental nessa disputa. Entenda

Olha essa

No Brasil ao invés das coisas desburocratizarem e se tornarem mais acessíveis à população, elas complicam e se tornam mais caras. Um exemplo disso é a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Até 1997 as aulas em auto-escolas eram dispensáveis, com a vigência do Código Brasileiro de Trânsito, passou a ser obrigatório. Mas claro que isso teve um custo e hoje em dia o sujeito precisa fazer um financiamento bancário para tirar a primeira CNH. E o custo vai subir ainda mais.

Simulador

A partir de março as auto-escolas de todo o país serão obrigadas a ministrar aulas utilizando um simulador, uma espécie de video-game que simula situações no trânsito. Essa história se arrasta desde o ano passado e é uma resolução do Contran, aquele mesmo conselho que no passado obrigou os brasileiros a comprar uma porcaria chamada “kit de primeiros socorros”. É bom lembrar que estamos no Brasil e por trás de cada ‘novidade’ dessas tem algum espertalhão ganhando muito dinheiro.

A melhor alternativa

Para a redução de acidentes no país era aumentar (ou proibir) motocicletas de até 300 cilindradas circulando nas ruas. Uma das maiores causas de acidente, ao menos aqui em Porto Velho são esses veículos como Bizz, CG 125 e similares. Essas motos deveriam custar caro para compensar os prejuízos sociais que elas causam. As pessoas compram achando que vão economizar, mas terminam envolvendo-se em acidentes e quando não morrem, ficam com sequelas permanentes. Mas, não bastasse esse problema, agora teremos os ‘tuk-tuk’, que já fazem sucesso em Brasília e muito em breve estarão circulando por aqui também. Os brasilienses atribuem o sucesso do tuk-tuk a crise econômica. Eu acho um retrocesso sem tamanho. Daqui a pouco teremos os riquixas também, é só o que falta. Para quem não conhece, abaixo foto dos dois.

Só falta o riquixá nas ruas brasileiras, porque o tuk-tuk já roda em Brasília
Só falta o riquixá nas ruas brasileiras, porque o tuk-tuk já roda em Brasília

Evidente

Que a melhoria do serviço de transporte público também reduziria os índices de acidentes, mas o interessante é que as pessoas preferem arriscar as próprias vidas e de seus filhos (cena comum, pai, mãe e às vezes duas crianças, todos na mesma moto), ao invés de protestar e exigir melhorias.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Aqui em Porto Velho

É como se não tivéssemos vereador. Todos, sem exceção, permitem aberrações como a do atual contrato “emergencial”. Eles parecem desconhecer que existem outras medidas além de ficar discursando para seus pares no plenário da Casa. Encaminham os tais “pedidos de providência” e pronto, concluem que “fizeram sua parte”. O legislativo municipal atualmente sofre com uma síndrome de aceitabilidade absurda, a prefeitura deita e rola, faz o que bem entende e a população continua no prejuízo. O serviço de transporte continua uma belíssima porcaria.

Fator Maurão

Na última coluna falamos sobre a conta que não fecha no caso do deputado Maurão de Carvalho migrar para o PMDB. E ela não fecha mesmo. Além do tabuleiro de alianças pré-estabelecidas entre o PMDB, PDT e PSB, ainda temos por fora o PSDB e o arco PP, PR e Pros, todos sobre a aba do chápeu de Ivo Cassol.

Então

Em 2018 poderemos ter na disputa por duas cadeiras no Senado, Valdir Raupp (candidato natural), Confúcio Moura, Jaqueline Cassol, Expedito Júnior e quem sabe até Marcos Rogério. Para governo teremos Maurão de Carvalho, Mauro Nazif (que depende das eleições de 2016), Jaqueline Cassol (caso perceba um cenário favorável) e Acir Gurgacz. Se Maurão estiver no PMDB, a probabilidade dele ser rifado para que a legenda apóie Gurgacz é enorme. Evidente que se tratam de suposições, mas esses nomes são os que existem atualmente e certamente estarão colocados nessa disposição em 2018.

O problema

É resolver o agora, o 2016. Nazif vem para a reeleição disputando não apenas a prefeitura, mas o que está em jogo é seu futuro político. Já o PSDB de Mariana Carvalho vai embarcar em uma aventura. O partido está enfraquecido, não é oposição como tenta se vender e não tem base estabelecida. O PSB de Mauro, que sempre flertou (e caminhou junto com o PT), adotou algumas práticas petistas, inclusive a formação de militância, coisa que os tucanos nunca souberam fazer. Qualquer leigo em política sabe que as eleições serão rapidamente polarizadas, caso Mariana, de fato, se confirme como candidata. E no corpo a corpo Nazif leva mais vantagem. Quem sair vencedor desse pleito, estará fortalecido em 2018 para as principais disputas.

E o povo?

Bom, político não se preocupa com isso, se preocupa em eleição, reeleição, propaganda e que falem bem deles. O restante é bobagem, né?

Trocando

O deputado federal Expedito Netto deixou o Solidariedade e passou a engrossar as fileiras do PSD, de Gilberto Kassab. Os deputados estaduais Ribamar Araújo, Lebrão, Laerte Gomes, Jean de Oliveira, Hermínio Coelho e Maurão de Carvalho também trocam de legenda. Os vereadores Jurandir Bengala e José Wildes deixam o PT e migram para o PR.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]No Brasil

Lula segue negando as acusações de tráfico de influência e tenta impedir seu depoimento de dona Marisa ao Ministério Público paulista, mesmo com a determinação do CNMP para que as investigações sobre o triplex em Guarujá prossigam. Ele, e seus advogados, prometem recorrer da decisão, que eles consideram “arbitrária”. Já Marcelo Odebrecht preferiu o silêncio em seu depoimento ao juiz Sérgio Moro na última terça-feira. A íntegra de seu ‘silêncio’, você confere AQUI!

Já o PT

Mostrou em seu programa eleitoral (que não vale a pena ser visto, mas se mesmo assim você quiser, pode clicar AQUI) que está cada vez mais distante de Dilma. A presidente da República, o cargo mais importante do país, foi praticamente ignorada pelo programa, que preferiu manter o velho discurso de “luta de classes” e “discriminação” contra Lula e sua origem humilde a explicar as lambanças cometidas tanto por Lula quanto por Dilma. E de quebra ainda tentou empurrar a responsabilidade da crise ao resto do mundo, que vai muito bem, obrigado.

E o PMDB

Decidiu optar por ‘mensagens cifradas’ em seu programa eleitoral que será exibido nesta quinta-feira, 25, mas Painel Político trás para você antecipadamente. Se ainda não viu, clique AQUI. A legenda lançou um plano econômico intitulado de “Temer 2” e deu indicativos que vai apoiar um impeachment, caso o Congresso decida por essa alternativa. A BBC produziu um material bem abrangente sobre a atual situação de Dilma Roussef, que você pode ler AQUI.

Clínica Mais Saúde informa – Novo tratamento para leucemia tem resultados surpreendentes

Uma nova terapia contra o câncer está sendo considerada extraordinária após mostrar sucesso em 94% dos pacientes com leucemia terminal que foram submetidos a ela. A técnica, que consiste em reprogramar as células-T para atacar o câncer, foi divulgada em dois estudos apresentados no encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, realizado em Washington, nos Estados Unidos, entre os dias 11 e 15 de fevereiro. Em um dos estudos, realizado por pesquisadores do Fred Hutchinson Cancer Research Centre, nos Estados Unidos, 26 pacientes com leucemia linfoblástica aguda em estado terminal, que não haviam respondido aos tratamentos tradicionais, foram submetidos à terapia. No ensaio, “células-T assassinas”, que agem destruindo tecidos infectados em nosso corpo, foram retiradas dos pacientes. Em seguida, elas foram modificadas geneticamente para projetar um novo mecanismo de segmentação – com o nome técnico de “receptores quiméricos de antígenos” – que atacasse o câncer. Um ano e meio após este procedimento, 24 pacientes estavam em remissão completa, ou seja, não apresentavam mais sinais de câncer no corpo. Os autores ressaltam que em função do estado de saúde dos pacientes, que tinham entre dois e cinco meses de expectativa de vida antes do experimento, esses resultados podem ser aceitáveis. Mas não seriam em caso de pacientes com tumores mais leves. Além disso, por enquanto, a terapia mostrou-se efetiva apenas em tumores líquidos como os de sangue. Ainda não se sabe quais seriam os resultados em cânceres sólidos, como o de mama. Outro estudo envolvendo a manipulação genética de células-T também foi apresentado no encontro e mostra que elas podem durar anos em nosso corpo. No experimento, Chiara Bonini, hematologista do Instituto Científico São Rafael, em Milão, na Itália, injetou uma terapia imune – que incluiu células-T – em dez pacientes que haviam passado por transplante de medula. Exames realizados 14 anos após o tratamento mostraram que as células-T injetadas ainda estavam no organismo dos pacientes. Estes resultados indicam o potencial duradouro de terapias imunológicas.

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta