Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Loterias da Caixa serão investigadas por suspeitas de fraude

0

Algumas pessoas tem tanta sorte, que conseguem superar todas as probabilidades e ganhar várias vezes seguidas

Fala sério…

O Supremo Tribunal Federal de Marte decidiu que os vereadores tem competência para julgar as contas dos prefeitos, ao invés dos técnicos dos tribunais de contas. Ou seja, o sujeito estuda feito um louco para passar em um concurso de tribunal de contas, disputadíssimo, sabendo tudo do assunto. Ai sua avaliação, baseada em estudos técnicos é simplesmente ignorada pelos vereadores, sendo que muitos mal sabem ler. Tinha que o STF marciano mesmo, liderado pelo alienígena Ricardo Lewandoski para cometer tamanho desatino.

Os alienígenas

Do STF também decidiram que em caso de omissão da Câmara Municipal, o parecer emitido pelo Tribunal de Contas não gera a inelegibilidade prevista no artigo 1º, inciso I, alínea ‘g’, da Lei Complementar 64/1990. Ou seja, os tribunais não servem para nada então. Podem fechar as portas e repartir o salário de conselheiros e técnicos com os sapientes vereadores brasileiros.

Fim do ficha limpa

O dispositivo, incluso pela Lei da Ficha Limpa, tornava inelegíveis aqueles que “tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, para as eleições que se realizarem nos oito anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do artigo 71 da Constituição Federal”. Os prefeitos ficha-sujas já podem comemorar.

Loterias na mira

O Ministério da Transparência deve investigar o sistema de loterias da Caixa Econômica Federal. Um dos motivos é o fato de algumas pessoas ganharem repetidas vezes as premiações, o que estatisticamente é quase impossível. Outro ponto que chama a atenção é o porque dos sorteios da Mega Sena, que pagam fortunas, são itinerantes, em locais distantes sem nenhuma transparência, quando poderiam ser feitos em um ambiente controlado, monitorado e 100% seguro. Tem coelho nesse matagal, e dos grandes.

Filosofando

O senador Ivo Cassol em entrevista à Agência Senado, comparou a Operação Lava Jato às novelas da Globo. Segundo ele, “até um dia desses a gente (sic) assistia o Velho Chico e antes Liberdade, Liberdade e não sabia o que ia acontecer. Assim é a Lava Jato, a gente não sabe o que vai acontecer”. Ele se referia ao julgamento final do processo de impeachament da presidente afastada Dilma Rousseff, que, segundo o próprio Cassol, “pode rever o voto”. Assim como Gurgacz e Raupp, o italiano defende novas eleições.

Novela mesmo

É o julgamento de Cassol no Supremo Tribunal Federal. A Corte marciana resolveu adiar, de novo, o julgamento do recurso do senador rondoniense. O parecer e voto da relatora, ministra Cármen Lúcia é pela rejeição do que ela chamou de “recursos protelatórios”. Cassol foi condenado a 4 anos e 11 meses de prisão e perda do mandato. Só que essa novela, que os rondonienses estão doidos para ver o final, parece que vai se estender por muito tempo ainda….

Advocacia

Hoje, 11 de agosto comemora-se o Dia do Advogado e a OAB promoveu em seu clube, em Porto Velho o já tradicional almoço da categoria. Durante a campanha de reeleição da OAB, circulou cópias de uma ação de cobrança em relação ao clube. Espalharam maldosa e irresponsavelmente que os advogados seriam “despejados”. Pois é, não foram. A ação foi julgada, a OAB ganhou e o clube, agora de fato, pertence à categoria.

Mas

Enquanto as coisas caminham à passos largos em algumas comissões da Ordem, outras nem tanto, como é o caso da Caixa de Assistência dos Advogados de Rondônia (CAARO) que dorme em berço esplêndido na atual gestão. Nesse quesito, fica um alerta, se um espaço não é ocupado, vazio ele não fica. Principalmente por quem aspira galgar cargos mais altos dentro da estrutura da Ordem. Política e administração são coisas completamente diferentes.

Enquanto isso

Outros grupos se forma, conversam e buscam fortalecimento. Podem pegar muita gente que está acomodada de surpresa.

Clínica Mais Saúde informa – Ato de amar ao próximo pode estar ligado a alteração genética

Imagine se existisse um modo de tornar as pessoas mais tolerantes e atentas aos problemas alheios?  O neurocientista brasileiro Alysson Muotri descobriu que pode haver, sim, uma alteração genética capaz disso. De acordo com estudo publicado nesta quinta-feira na revista científica Nature,  o gene FZD9 pode ser o responsável pelos comportamentos individualistas, preconceituosos e intolerantes. No estudo, Muotri, que é pesquisador da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, investigou pacientes com a Síndrome de Williams, condição que, grosso modo, é o oposta do autismo, já que seus portadores são pessoas extremamente sociáveis, entusiasmadas, possuem uma memória admirável e são preocupadas com o próximo. Portadores dessa doença não possuem o gene FZD9. Dos cinco pacientes analisados, quatro tinham a perda típica dos 25 genes (inclusive de uma das duas cópias do FZD9). O quinto paciente era um pouco diferente – ele não era supersocial. Descobriu-se que ele tinha mantido as duas cópias do FZD9, assim como ocorre com a maioria dos seres humanos. Já em em alguns autistas, há três cópias do gene. “Isso nos fez concluir que esse gene contribui para o preconceito ou a intolerância”, disse Muotri. Como definiu o pesquisador, o “amor pelo próximo pode ser causado por um defeito genético”.

Comentários
Carregando