Coluna – MPF/RO pode pedir prisão de acusados sem foro na Lava Jato; só falta vontade

E ainda, empréstimos consignados da prefeitura podem render primeiro escândalo na gestão Hildon Chaves, se ele não cortar o mal pela raiz; relembre o “incidente” das obras de trasposição da avenida Farquar

Abrindo

Impressiona como alguns dos “assessores de primeiro escalão” do governo de Rondônia utilizam descaradamente os cargos para promoção pessoal. Um dos exemplos mais recentes é do secretário de Agricultura, Evandro César Padovani, cuja pasta, bem diferente da gestão Cassol, não tem servido para nada, a não ser pagar diárias e promover o secretário. Só para se ter uma ideia, a agricultura é um dos setores mais importantes na economia de Rondônia. Foi ela por exemplo, que ajudou o Estado a saltar de um orçamento de R$ 1 bi para R$ 5 bilhões no fim do governo Cassol, tendo à frente pessoas competentes como o agora deputado federal Luiz Cláudio.

Mas Confúcio

Conseguiu acabar com praticamente todos os programas de incentivo que o Estado mantinha. Números fantasiosos que adoram ser citados pelo chefe da Casa Civil não se sustentam. Rondônia estagnou, e o Estado tem um potencial imenso, ainda inexplorado. Mas no papel…há, o papel aceita tudo…

Os consignados

Em 2011 PAINEL POLÍTICO revelou com exclusividade que uma empresa administrava os empréstimos consignados do governo do Estado e faturava, na época, a bagatela de R$ 400 mil/mês (lucro). O Tribunal de Contas interviu, assim como Ministério Público e o negócio virou uma bagunça e atualmente é gerenciado pelo próprio Estado através de uma comissão nomeada.

Porém

A empresa originária do negócio, que operou durante toda a gestão Cassol, a Marco foi tirada logo no início do governo Confúcio, e utilizava um software de gestão, que passou a ser usado na prefeitura de Porto Velho durante a administração de Mauro Nazif. Os ganhos, em relação ao governo, eram bem mais modestos, cerca de R$ 30 mil/mês (fora impostos). E vinha funcionando, sem ter que pagar o “faz-me rir” para ninguém, dentro da legalidade. Mas ai entra em cena a “nova gestão” e começam os problemas.

Uma fonte

Estritamente confiável garante que um assessor de primeiro escalão cresceu o olho no negócio e pediu uma “mesada” de R$ 50 mil, que foi negada pela empresa que vinha tocando o negócio. Como resultado a empresa perdeu o contrato, e apareceu um terceiro personagem no negócio, com um software similar que será gerenciado via gabinete do prefeito. Os bancos grandes, como Caixa e Banco do Brasil deixaram de operar com atravessadores, mas as financeiras, como BMG e PAN continuam. E na prática funciona assim, o servidor vai fazer um empréstimo, mas não tem margem. A empresa consegue ampliar a margem e com um valor mensal de R$ 300 a pessoa consegue R$ 25 mil, sendo que 10% desse valor fica com a proprietária do software de gerenciamento.

Hildon Chaves

Precisa abrir os olhos em relação a seu primeiro escalão. Vale lembrar que o caso dos consignados já deu cadeia em Rondônia e foi um verdadeiro escândalo, tão grande que Confúcio resolveu evitar maiores problemas e formou a comissão que cuida desses consignados por policiais e delegados, assim, se der problema “a culpa é da polícia”. Onde tem fumaça tem fogo e em Rondônia, o fumacê chega a assustar quando o assunto é dinheiro.

Falta mexer o doce

O Ministério Público Federal em Rondônia precisa começar a se movimentar em relação as acusações que envolvem pessoas sem foro privilegiado, enroladas na Lava Jato e que foram apontadas pelo delator Henrique Valadares, tais como o ex-secretário de Planejamento do Estado, João Carlos, Valter Araújo, Roberto Sobrinho e José Bonifácio Pinto Júnior. O que falta para o MPF/RO pedir as informações do MPF/PR e solicitar da justiça federal os mandados de prisão dessa turma? Tenho certeza que o que não vai faltar é juiz querendo assinar.

Foram esses

Os responsáveis por grande parte dos problemas que até hoje assolam a população de Porto Velho, tais como as obras inacabadas dos viadutos, as reformas superfaturadas, a tentativa de isentar as usinas ao pagamento de impostos de mais de R$ 1 bilhão, as obras de saneamento que nunca saíram papel e por ai vai.

Da série #relembrandoescândalos

Na gestão de Roberto Sobrinho na prefeitura de Porto Velho, as obras de travessia da avenida Farquar, ao bairro Nacional, tiveram que ser refeitas porque a empresa responsável simplesmente não dimensionou corretamente os tubos que levariam água de um lado a outro da pista. Além disso, o solo alagadiço não foi corretamente pavimentado, com isso, a força da água derrubou tudo. O caso foi publicado por mim e Paulo Andreoli em 2009. No mesmo ano, em 31 de março, eu publiquei o artigo “A Porto Velho que Lula não viu“, tratando sobre o assunto. A obra teve que ser refeita e quem pagou a conta da incompetência foi você, caro leitor.

Treino HIIT pode contribuir para a perda de peso e para a longevidade

Fazer atividade física regularmente, independente de qual e quanto, sempre traz benefícios para a saúde. Mas, de acordo com um estudo recente, um tipo específico de exercício pode contribuir não só para a boa forma, mas também para a longevidade. Publicada no periódico científico Cell Metabolism, a pesquisa sugere que o famoso HIIT (High-Intensity Interval Training, algo como treinamento de intervalo de alta intensidade) pode alterar mudanças relacionadas ao envelhecimento em nível celular. O HIIT baseia-se em uma técnica similar ao que era chamado de treino de “tiro”. Ou seja, combina exercícios de alta intensidade (corrida em esteira, bicicleta ergométrica, saltos sobre caixas de madeira e movimentos usando o peso do próprio corpo, entre outros) com intervalos de até cinco minutos de repouso. Os principais resultados dessa técnica são: redução mais rápida de peso e melhora no condicionamento físico. Em meia hora de atividade, são gastas aproximadamente 400 calorias. Uma sessão de musculação moderada queima a metade disso no mesmo tempo. No entanto, no que diz respeito a alterações em nível celular, o HIIT foi o que trouxe maior benefício. Segundo os pesquisadores, os participantes que seguiram esse treinamento apresentaram melhora no declínio relacionado com a idade nas mitocôndrias musculares, parte responsável por gerar energia às células. O treino também pareceu aumentar a produção de proteínas nas células, algo importante para o bom funcionamento do corpo e que normalmente diminui durante o envelhecimento. O interessante é que esses benefícios foram observados nas pessoas das duas faixas etárias. Embora esses sejam resultados preliminares, eles fornecem uma visão sobre como o exercício pode melhorar a saúde de uma pessoa, mesmo entre idosos.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Por favor, dê um like em nossa página no Facebook
Placeholder
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília

Associado da Liga de Defesa da Internet