Também na coluna, a farra das diárias dos vereadores continua em todo o Estado

Sem fim

Natal chegando e a bandidagem enlouquece. Dezenas de ocorrências de furtos, assaltos e “saidinhas de banco”. Bom a população ficar atenta e sempre lembrar daquele velho conselho, não reagir e tentar manter a calma sempre. Por mais difícil que seja.

Febre

Nos últimos tempos, uma modalidade de assalto virou febre em Porto Velho, o de tom,ar celulares no meio da rua. Centenas de pessoas já foram vítimas, algumas até mais de uma vez. O modus operandi é sempre o mesmo, vagabundo chega de bicicleta, normalmente em dupla, aponta uma arma e leva o telefone. Esses aparelhos normalmente são vendidos pela internet ou em quiosques de “manutenção”. Não existe aparelho barato, existe aparelho roubado, portanto, evite comprar esses produtos, ele pode ter custado a vida de alguém.

Renovação

Este ano vem sendo marcado pelo discurso da renovação no cenário político, porém, pouca coisa mudou de fato. Mas os profissionais de educação terão uma boa chance de fazer uma “limpa” no Sindicato dos Trabalhadores em Educação, o Sintero, que vem sendo comandado pelo mesmo grupo desde sua fundação e essa turma já deu o que tinha que dar. Pela primeira vez uma chapa tem chance real de vencer a eleição e dar uma oxigenada no sindicato.

Liderança

Capitaneada pelo professor Xavier, uma figura polêmica, com histórico de lutas e comprometido com a categoria, ele disputa pela Chapa 2 a presidência do Sintero e enfrenta toda a máquina política e administrativa, que aparelhou a entidade e não permite qualquer tipo de questionamentos e segundo Xavier, não presta contas de suas ações e é extremamente centralizadora. Xavier propõe a estruturação física não apenas da sede em Porto Velho, mas sobretudo das sedes regionais, melhorando os ambientes para receber os filiados de maneira mais digna. A implantação da Identidade do Professor e a mobilização pela criação do Conselho Federal de Professores.

Outro ponto

É a saúde dos trabalhadores em educação, havendo a proposta de uma parceria institucional com a Secretaria de Estado da Educação, o Núcleo de Perícias Médicas e o Instituto de Previdências do Estado de Rondônia (Iperon) para que haja acesso ao histórico de afastamentos de servidores por motivos de doença, levantando-se quais os problemas de saúde de maior incidência a fim de se desenvolver um programa de prevenção.

Aliás

Nesse ponto chegamos a uma situação complicada. Anteriormente o Sintero tinha plano de saúde próprio, que foi extinto para dar lugar a uma parceria com a ASPER e o Sindsaúde. Uma história que envolve a compra de um hospital em Ariquemes, com a utilização de parentes em uma empresa que gerencia os contratos está sendo investigada, assim como o fato de Pinheiro, que é professor mas não pisa em uma sala de aula há anos, estar à disposição da ASPER, que é uma entidade privada. Ele está afastado de suas funções profissionais alegando ser “dirigente sindical”. Um pedido de explicações por parte do Ministério Público sobre essa situação está na mesa do conselheiro Benedito Alves, que ainda não respondeu.

Tempos modernos

Nos últimos anos, juntar papel se tornou incômodo e desnecessário. Até mesmo os tribunais já estão operando com sistema de processos digitais. Se sua empresa acumula papéis demais, entre em contato com a A.D. Digitalizações e peça um orçamento. Você recebe todo seu arquivo em HDs externos, pendrives ou DVDs e se preferir pode contratar o serviço de digitilização em nuvem, permitindo que você acesse seus arquivos em qualquer lugar do mundo, via internet, através de seu telefone celular, computador ou tablet. Para contatos envie e-mail para [email protected] e peça seu orçamento. A AD também trabalha com guarda de documentos e tem preços diferenciados para advogados.

Farra

Em Guajará-Mirim, município historicamente endividado e com pouquíssimos recursos, os vereadores resolveram dar um “up” em seus salários através de diárias. Levantamento feito por um site local mostrou que em oito meses, os edis torraram a bagatela de R$ 85 mil em viagens, e a câmara como um todo gastou R$ 119 mil.

Ao mesmo tempo

O prédio da Câmara dos Vereadores está caindo aos pedaços, sequer uma pintura foi feita pela atual gestão, demonstrando total descaso com a coisa pública e com a cidade em que vivem. Um dos vereadores, Augustinho Figueiredo, do PDT, parece que não gosta muito de ficar pela cidade. Ele recebeu no período, R$ 11.050. Ele chegou a receber diárias por uma “viagem internacional”, mas não mostrou para onde foi, tampouco o que foi fazer.

Em 2013

A Câmara de Ji-Paraná havia gasto com diárias durante todo o ano, cerca de R# 380 mil. Agora em 2014, já foram pagos aos edis pouco mais de R$ 263 mil. As justificativas para pedidos de diárias variam, alguns vão fazer cursos e outros chegam ao ponto de justificar viagens à Brasília para “protocolar pedidos de emendas”. Vários outros alegam como motivo a ida a Capital Federal para tratar de assuntos com o deputado federal Marcos Rogério e o senador Acir Gurgacz, ambos residem na cidade e estão sempre por lá, ou seja, essa grana poderia ficar nos cofres da cidade. Mas, pelo visto, dinheiro não é problema para a cidade.

Lá em Vilhena

A Câmara Municipal continua sem website, ou seja, transparência zero.

Em Porto Velho

A Câmara continua econômica em relação a diárias. Durante todo o ano de 2014 foram pagos pouco mais de R$ 44 mil, bem menos que 2013, quando foram gastos cerca de R$ 207 mil em diárias para os vereadores. Mas tem cidade por ai que anda fazendo farra, e parece que quanto menor e mais pobre é o município, mais os vereadores torram dinheiro em viagens. Nas próximas colunas estaremos mostrando a situação em outras cidades rondonienses.

Em Ouro Preto

O jornalista Alexandre Araújo vem sofrendo uma série de retaliações em função de sua atividade jornalística, inclusive com armações ridículas, como a invasão de sua residência, pela polícia durante o segundo turno da campanha eleitoral, quando ele foi acusado, anonimamente, de distribuir jornais contra o candidato do PMDB. É que grande parte do séquito local segue determinação do prefeito Alex Testoni, aliado de primeira hora do atual governante.

Falando em Testoni

O quase ex-deputado Jaques Testoni foi indicado para assumir o DER a partir do ano que vem. A indicação partiu de Lúcio Mosquini, que pelo jeito não quer largar o osso de jeito nenhum. Outro que anda se assanhando pelas bandas do órgão é o deputado Lebrão, que sonha com o cargo. A questão vai dar uma confusão danada, afinal, Mosquini pretende continuar dando as cartas, e pelo jeito, “ajudando os amigos”, como aquela “forcinha” que ele deu nas obras do Espaço Alternativo.

Para contatos

Fale conosco pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no http://www.facebook.com/painel.politico e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Whatsapp 9248-8911.

Trabalhar em horários irregulares pode prejudicar o cérebro e a memória, diz pesquisa

Trabalhar em turnos irregulares pode causar danos a longo prazo para a memória e a saúde mental dos funcionários, segundo um novo estudo feito pelas universidades de Toulouse (França) e Swansea (País de Gales). A mudança constante de horários no batente afeta o nosso relógio biológico, causando desgaste parecido com a fadiga de uma longa viagem de avião em que mudamos muito de fuso horário. Essas alterações já foram associadas, por exemplo, ao aumento de riscos para o coração e até de câncer. Agora, cientistas descobriram uma redução da função cerebral em pessoas que variam muito seu turno de trabalho, especialmente pra quem alterna entre manhã, tarde e noite. Num estudo com 3 mil pessoas que vivem na França, os pesquisadores notaram que aqueles que trabalhavam em turnos rotativos tiveram desempenho significativamente pior em testes de memória e velocidade cognitiva do que as pessoas que haviam trabalhado em horários regulares. A forma exata como o trabalho por turnos pode ter impacto sobre o funcionamento do cérebro não é totalmente compreendida. Mas sabe-se que perturbações no relógio biológico são conhecidas por afetar o corpo e a mente.

 

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 thought on “Coluna – Para não largar o osso, Mosquini indica Testoni para o DER

  1. O Mosquine tem que dar mesmo o DER-RO para o Testoni para pagar o tempo que o caminhão guindaste dele ficou ganhando dinheiro da prefeitura de Ouro Preto sem necessidade.

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: