• Homepage
  • >
  • Painel Político
  • >
  • Coluna – Porto Velho terá R$ 134 milhões para asfalto, mas acho que não vai acontecer

Coluna – Porto Velho terá R$ 134 milhões para asfalto, mas acho que não vai acontecer

Execução estará à cargo do DER, que não consegue realizar nada que seja viável e capital deve perder o recurso. E ainda, CAE aprova projeto de Cassol, que se aprovado em plenário vai derrubar os juros de cartão de crédito a 28%

Não quis

O deputado federal Luiz Cláudio destinou, e já está na conta do município desde 2015, R$ 850 mil em emenda para equipar duas maternidades em Porto Velho. Isso que você leu, o dinheiro está na conta do município para essa finalidade, mas o prefeito Mauro Nazif  (PSB) não executou. Mauro se recusou, durante todo seu mandato, a usar qualquer recurso proveniente de Brasília.

Agora em 2016

A bancada federal destinou para a capital uma emenda propositiva no valor de R$ 134 milhões, que só podem ser usados em Porto Velho e só podem ser aplicados em asfalto e drenagem. A opção por Porto Velho aconteceu em 18 de outubro deste ano e PAINEL POLÍTICO acompanhou a reunião. E a capital foi a escolha porque o recurso só pode ser aplicado em uma obra. Isso pode parecer bom, e seria se o município executasse a obra. Mas, isso não vai acontecer.

E agora emperra

Não vai acontecer por um motivo bem simples, quem vai ficar responsável pela execução é o DER, que já mostrou não ter competência para executar obra nenhuma. Não por seu corpo técnico, mas por seus diretores, que somam trapalhadas sobre trapalhadas em todo o Estado e exemplos não faltam. Para se ter uma idéia, o recurso só será liberado após a apresentação do projeto, que leva em média 6 a 8 meses para ficar pronto. Então já podemos jogar isso para agosto ou setembro de 2017. A partir daí começa o processo licitatório (tomara que façam, porque as obras que o DER resolve meter o bedelho, sempre acabam mal). Mas ai já estaremos no início do período de chuvas, então se tudo der certo, a coisa começaria a andar em março 2018. Mas, como as coisas em Rondônia que dependem do DER nunca saem como o planejado…

Os maiores prejudicados

Claro, a população e o prefeito Hildon Chaves, que esteve em Brasília e se reuniu com a bancada e saiu achando que a coisa estava resolvida. Estaria, se ele fosse o executor. Como o buraco é mais embaixo nesse caso, ele vai precisar da ajuda, e muita, de deputados estaduais para cobrar o andamento dessas obras, e olhando assim, criticamente, sobrou Léo Moraes. Evidente que a campanha acabou e está na hora de deixar de lado o ranço da campanha eleitoral e partir para resolver os problemas da cidade, que não são poucos.

Falando em Léo Moraes

O juiz federal Lúcio Linhares Perdigão de Morais determinou na última segunda-feira que a Ceron cumpra a determinação judicial de não cobrar pelas bandeiras tarifárias em Rondônia. A ação foi uma iniciativa do deputado Léo Moraes através da Facer. Resta saber se a empresa vai cumprir, afinal, como disse na última coluna, desobedecer decisão judicial em Rondônia virou passatempo preferido dos órgãos públicos. Até o dia em que as decisões vierem seguidas de mandados de prisão, aí pode ser que as coisas comecem a mudar…

Bola dentro

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou a proposta do senador Ivo Cassol em estabelecer um teto para os juros de cartões de créditos no Brasil através da alteração da lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, que dispõe sobre a política e as instituições monetárias, bancárias e creditícias para limitar os juros de cartão de crédito. De acordo com os dados divulgados pelo Banco Central, no cartão de crédito, as taxas atingem percentuais próximos de 400% ao ano para as concessões a pessoas físicas, e a 250% para empresas. Se considerar um CDI de 14% ao ano, a taxa máxima cobrada seria de 28% ao ano. Os bancos teriam um lucro bruto de 100% do custo captado. Portanto, o limite proposto é móvel e bastante amplo.

Agora

Eu proponho que todos os cidadãos que estejam lendo essa coluna, e que estejam cansados de serem extorquidos pelos bancos, pressionem os senadores para que a proposta seja aprovada em plenário, que é o mais difícil, já que as instituições financeiras bancam grande parte de campanhas políticas. De qualquer forma AQUI tem a lista de todos os senadores em exercício com seus respectivos e-mails e telefones de gabinetes. Não custa mandar uns e-mails cobrando posição favorável ao projeto do italiano, que dessa vez acertou em cheio!

Alguém viu?

Alguém sabe informar os paradeiros da ex-deputada estadual Ellen Ruth e do ex-deputado estadual Marcos Donadon? É porque eles estão foragidos e a polícia quer falar com eles. Se alguém souber, pode ligar direto para o 190…

Dia 9

Acontece no auditório da Unopar em Porto Velho, a diplomação do prefeito eleito Hildon Chaves e dos vereadores. A solenidade está prevista para acontecer às 17 horas.

Falta de Vitamina C causa escorbuto, que voltou a aparecer

O antigo e temido Escorbuto, doença caracterizada pela falta de vitamina C no organismo, que vitimou muitas pessoas no início do século XVIII em períodos de intensos e rigorosos invernos, reapareceu em pleno século 21, na moderna Sydney, na Austrália. De acordo com o jornal australiano local, Sydney Morning Herald, Penelope Jackson se tornou a primeira, de alguns residentes, no oeste de Sydney a ser diagnosticada com o chamado “flagelo dos mares” – já que a maioria das vítimas era marinheiros, uma vez que passavam muito tempo navegando e não consumiam alimentos que contenham vitamina C, como frutas. As principais funções da vitamina C estão na síntese do colágeno – o que ajuda a garantir a saúde dos ossos, dentes, gengivas e vasos sanguíneos, além de contribuir para aumentar a absorção do ferro consumido na dieta.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília