Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Coluna – Rondônia, quem será o próximo a te governar?

0

Abrindo

Com a proximidade das eleições, partidos e candidatos começam a se articular, marcar reuniões, fechar alianças e avaliar quem de fato tem chances de vencer a disputa. Mas isso demanda jogo de cintura e principalmente, uma enorme disposição para recuar quando for preciso. O cenário político do Estado para 2014 está nebuloso, e temos ainda muitas indefinições. A pergunta que mais tenho ouvido nos últimos tempos é, “quem vai ser o próximo governador”?. Vamos tentar responder.

Reeleição

É inegável que quem larga na frente é quem manda na máquina. Por mais desgastado que esteja, Confúcio Moura está vivo e apesar de rumores de que ele não viria para a disputa, essa possibilidade é muito remota. E não por ele, mas pelo que está em jogo. Um governo é uma imensa máquina movida pelos interesses mais diversos e nessa altura do campeonato o PMDB trocar o candidato, seria uma espécie de suicídio. O que deve acontecer, possivelmente, é uma aliança com o PSB, e para vice de Confúcio viria Cleiton Roque, de Pimenta Bueno.

Com isso

O PDT, de Acir Gurgacz deve buscar outros rumos e muito provavelmente feche aliança com seu eterno parceiro, o PT, de Padre Ton. Essa possibilidade pode mudar, caso Roberto Sobrinho consiga espaço dentro do PT e saia para o senado, o que inviabilizaria uma aliança com Acir, que quer continuar em Brasília. Mas nada que uma ajuda no caixa da campanha não resolva.

Podcast

Já o PSDB

Deverá sair com Expedito Júnior, que vem sendo cobrado pela militância e por onde passa. Apesar de ter tido problemas com a justiça eleitoral, Júnior é atualmente a maior dificuldade a ser enfrentada por Confúcio Moura. E a situação pode complicar ainda mais, dependendo de quem venha a ser o vice de Expedito.

Outro

Que também deverá fazer a diferença no processo é o prefeito de Ouro Preto, Alex Testoni, que mostrou ser um grande administrador. Seu modelo de gestão, até então inédito em Rondônia, foi olhado com desconfiança no começo, mas depois viu-se que a coisa funciona. Alex extinguiu todos os cargos de secretário, que passaram a ser gerentes. Para reformar escolas, por exemplo, não contratou empresas. Nomeou como servidores do município pedreiros, eletricistas, encanadores e pintores. Terminado o trabalho, foram todos dispensados. Seu método fez a diferença e quem conhece Ouro Preto sabe bem do que estamos falando. A cidade hoje é uma das mais organizadas, tanto fisicamente quanto administrativamente.

E Alex

Também tem dinheiro e disposição para entrar na disputa. Mas em sua legenda ele também tem o presidente da Assembleia, Hermínio Coelho, que passa por uma situação bem complicada, em termos de espaço político para 2014.

Olha só

A situação de Hermínio estava bem atrapalhada antes da Operação Apocalipse, realizada pela Polícia Civil. Ele estava praticamente fora do PSD, pois havia tido “diferenças ideológicas” com Moreira Mendes, presidente da legenda. Com a operação, que ilegalmente prendeu seu filho, Hermínio ganhou um gás. Seu nome fortaleceu, mas mesmo assim a possibilidade dele vir a ser candidato da legenda a governo é quase zero. Só vai se Alex de fato não quiser, ou se o PSD não fechar aliança com outro partido e indique o vice. Para Hermínio é ruim, afinal, ele já falou mal de praticamente todos os candidatos.

Portanto

Ele deve sair a reeleição para a Assembleia ou uma vaga na Câmara Federal, que vai estar bem disputada, afinal, só o PMDB deve fazer três deputados federais, o PT faz um ou dois, o PSDB mais um ou dois e o restante vai para o coeficiente decidir. Disputar o senado também seria uma opção, mas isso aconteceria caso Moreira não consiga resolver uma pendência jurídica. É aguardar para ver.

E Cassol?

O senador vem trabalhando para emplacar sua filha, Karine na Câmara Federal. Essa é uma campanha que de fato Ivo vai trabalhar, até para garantir a permanência da família no cenário político. Nos próximos meses, Cassol vai enfrentar uma série de problemas, entre eles o julgamento da ação que pede sua cassação, referente a culto em praça pública que ele participou durante a campanha em 2010.

Neodi e Maurão

A possibilidade de um dos dois vir a disputar o governo é muito pequena. Ambos estão encalacrados com a justiça e na iminência de uma condenação, decorrente das investigações da Operação Dominó (2006). Portanto, é só fogo de palha.

Então respondendo

Ainda é muito cedo para qualquer tipo de definição sobre o assunto. A tendência é uma polarização entre Júnior e Confúcio, mas isso pode mudar, caso Testoni entre na jogada. A partir de janeiro que as coisas começam a esquentar. Vamos aguardar.

Registro

Foi empossado na segunda-feira, 25, o juiz Valdeci Castellar Citon, como novo desembargador do Tribunal de Justiça de Rondônia. Ele atua na magistratura rondoniense há quase 22 anos e a partir de agora passa a integrar a 1ª Câmara Criminal. Mineiro de Guaranésia, Valdeci Castellar formou-se em Direito pela Fundação Universidade Estadual de Londrina, foi aluno da Escola da Magistratura do Paraná e possui MBA em Poder Judiciário pela Fundação Getúlio Vargas. Ele foi aprovado no 6º Concurso da Magistratura do Estado de Rondônia. No Juizado da Infância e da Juventude desenvolveu vários projetos, como “Desarme-se”, para o recolhimento de armas de fogo em troca de cestas básicas; e o “Gerar”, trabalho pela desmistificação e orientação sobre processo de adoção, acarretando a criação do 1º Grupo de Apoio à Adoção no âmbito da justiça no Brasil. Já na 2ª Vara Criminal desenvolveu, em parceria com o Detran, o projeto “Lei Seca – Não entre em choque com a Lei”, para a conscientização dos réus envolvidos em crimes de trânsito, em especial aqueles que respondem processos por dirigir sob efeito de bebida alcoolica.

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon.

Estímulo magnético pode ajudar fumantes a largar vício 

Usar campos magnéticos para alterar a atividade cerebral pode ajudar alguns fumantes a abandonar o hábito, aponta um estudo preliminar recém-divulgado. Os pesquisadores dizem ter usado um estimulação magnética transcraniana (TMS, na sigla em inglês) para “desfazer” o vício em nicotina do cérebro do paciente. As descobertas preliminares, apresentadas na conferência Neuroscience 2013, nos EUA, sugerem que a técnica pode ajudar fumantes a reduzir o consumo de cigarro ou mesmo abandoná-lo. Mas novos testes são necessários antes que a técnica seja indicada para uso clínico. A TMS estimula neurônios a alterar funções cerebrais e já é utilizada no tratamento de alguns pacientes que sofrem de depressão. A equipe da Universidade Ben Gurion, em Israel, usou os campos magnéticos em duas áreas do cérebro associadas ao vício em nicotina: o córtex pré-frontal e a ínsula. Os 115 fumantes que participaram do estudo foram divididos em três grupos — submetidos a TMS de alta frequência, a de baixa frequência ou a nenhum tratamento — durante 13 dias. Após seis meses de estudo, o grupo que teve TMS de alta frequência consumiu menos cigarro e apresentou índices maiores de abandono do fumo. As melhores taxas de sucesso no tratamento ocorreram quando os participantes viram fotos de cigarros acesos durante a terapia magnética. Desses, um terço largou o cigarro após seis meses.

 

Comentários
Carregando