Com medo de exposição e do “processo andar’, Capixaba, do “escândalo das sanguessugas” renuncia defesa de Cunha

Menos de uma semana depois de substituir o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) no Conselho de Ética, o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO) renunciou nesta terça-feira (16) à vaga no colegiado.

O deputado de Rondônia havia assumido a vaga a pedido do líder do PTB, Jovair Arantes (PTB-GO), que ainda não indicou substituto para o parlamentar.
No último domingo (14), Arnaldo Faria de Sá, que havia votado a favor da continuidade do processo que investiga o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), abriu mão da vaga a pedido de Jovair Arantes e foi substituído por Capixaba.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]A ida de Nilton Capixaba para o Conselho de Ética era vista nos bastidores como uma manobra para beneficiar Cunha, já que Arnaldo Faria de Sá defendia a continuidade das investigações do presidente da Câmara.

Nilton Capixaba disse nesta terça que decidiu voltar atrás na decisão de assumir o posto porque teria que faltar a algumas reuniões do Conselho de Ética, o que, segundo ele, poderia “não pegar bem”.

“O estado de Rondônia, a distância é muito grande de Brasília. Eu já estou em várias comissões e sou presidente de partido no estado. Essa comissão se reúne direto. Se eu ficar faltando, fica ruim. Falei com o líder que era melhor não participar disso aí”, afirmou.

O próprio Nilton Capixaba já foi alvo de processo no Conselho de Ética, o que resultou na aprovação de um relatório pela cassação do seu mandato em 2006. O motivo foi a acusação de envolvimento com a chamada “máfia dos sanguessugas”, como ficou conhecido o escândalo de compra de ambulâncias superfaturadas com emendas parlamentares.
O processo não teve continuidade porque a legislatura terminou e, na ocasião, Capixaba não foi reeleito para um novo mandato.

Processo das sanguessugas

Nilton Capixaba ainda responde a Ação Penal 644, no Supremo Tribunal Federal (STF) que trata do escândalo das sanguessugas. O processo está em fase final de conclusão.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta