Com perna quebrada mulher implora para que não chamem ambulância, “não tenho como pagar”; caso foi nos EUA

Drama foi divulgado em redes sociais e mostra o lado cruel do sistema de saúde americano que cobra caro pelos serviços

Um caso dramático ganhou as páginas dos principais noticiários dos Estados Unidos essa semana. Câmeras de vigilância mostram uma mulher que teve uma fratura exposta depois que ela ficou presa em um espaço entre um trem e a plataforma do metrô. O incidente ocorreu por volta das 17h30 da sexta-feira na estação da Massachusetts Avenue, de acordo com um relatório da polícia.

Vídeo de vigilância do Departamento de Polícia de Trânsito da Autoridade de Transporte da Baía de Massachusetts mostrou passageiros balançando o trem de um lado para o outro para libertá-la.

Sofrendo uma laceração profunda, a perna da mulher de 45 anos não identificada foi deixada “torcida e sangrenta”, segundo a repórter da Globe, Maria Cramer, que testemunhou o acidente.

“Cena horrível na linha laranja. A perna de uma mulher ficou presa no espaço entre o trem e a plataforma. Foi torcido e sangrento. A pele saiu. Ela está em agonia e chorando. Tão irritante que ela implorou a ninguém, chame uma ambulância. “São $ 3000”, ela lamentou. “Eu não posso permitir isso.”

A polícia disse que a equipe médica de emergência enfaixou a ferida, o que exigiria cirurgia, e a levou para o hospital.

A história ganhou atenção nacional após o tweet de Cramer, e o conselho editorial do New York Times seguiu com um editorial intitulado “Este Tweet capta o estado dos cuidados de saúde na América hoje”.

Com informações do USA Today

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário