Comerciante de 49 anos teria ajudado assassino de jovem, que usou máscara e “caçou” vítima em escola

O jovem Misael Pereira Olair, de 19 anos, preso suspeito de matar a tiros a estudante Raphaella Noviski, de 16, dentro de um colégio estadual de Alexânia, no Entorno do Distrito Federal, usou uma máscara para invadir a unidade, segundo a Polícia Civil. Além disso, segundo a corporação, ele teve ajuda do comerciante Davi José de Souza, de 49. O homem também foi detido.

O comerciante e o jovem não são parentes, mas, de acordo com a investigação, o homem deu carona ao rapaz até a porta do Colégio Estadual 13 de Maio, onde a aluna foi morta, na manhã desta segunda-feira (6), ficou do lado de fora esperando e depois o ajudou na tentativa de fuga.

Um funcionário da escola, que preferiu não se identificar, contou ao G1 o autor dos disparos pulou o muro e entrou no corredor da sala em que a vítima estudava, onde tinham cerca de 30 alunos. “Ele estava de máscara, colocou a cabeça na sala do 9º ano B, viu que ela não estava e foi para a sala ao lado. Entrou, foi em direção à vítima, que estava sentada no fundo, e atirou”, relatou.

Segundo o funcionário, ao ver o jovem sacando a arma, os alunos saíram correndo em desespero. Após atirar contra a vítima, o rapaz fugiu para os fundos da escola e pulou o muro novamente. Ele foi preso a cerca de 300 metros da instituição.

Em nota a Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) também destacou que Misael “teria pulado o muro da escola mascarado para efetuar os disparos”. Em seguida, foi preso quando tentava fugir em um Ford Escort. Com ele foi apreendido um revólver calibre 32.

Máscara e revólver calibre 32 foram apreendidos com suspeito de matar aluna, em Alexânia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Assim como Misael, o comerciante foi preso em flagrante pela Polícia Militar logo após o crime. Por volta das 12h30, ambos seguiam na Delegacia de Alexânia, onde eram ouvidos pela delegada Rafaela Azzi, responsável pelo caso.

O advogado dos suspeitos já se apresentou na delegacia para acompanhar as oitivas, mas o G1 ainda não conseguiu contato com ele.

Ainda segundo a polícia, o jovem e o comerciante não tinham antecedentes criminais. A corporação ainda tenta confirmar a procedência do revólver apreendido com Misael.

O jovem deve ser autuado em flagrante por homicídio qualificado e deve ser encaminhado ao presídio, onde ficará à disposição do Poder Judiciário. Já o comerciante deve responder pelo crime de favorecimento pessoal, por ter contribuído para a morte da estudante.

G1/GO

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta